Brisanet calcula custo de R$ 250 mil por antena 5G

Enquanto o Tribunal de Contas da União esteja analisando os estudos da Anatel com a proposta de valor para o espectro do leilão de 5G, os pequenos provedores já fazem a conta do custo que terão para implantar a rede. O cálculo da empresa regional Brisanet é de que apenas a torre com a tecnologia possa custar cerca de R$ 250 mil quando a rede for implementada efetivamente, daqui a dois anos. Já infraestrutura de rede de apoio pode passar dos R$ 6,6 milhões.

Esses estudos preliminares dos prestadores de pequeno porte (PPP) considera já a conformidade com a obrigação colocada pela Anatel de que as estações radiobase 5G estejam no padrão do Release 16, o que significa que precisarão ter um core de rede totalmente dedicado (ou seja, o 5G standalone). E também leva em consideração que serão investimentos feitos apenas quando o espectro de 3,5 GHz estiver disponível nos lotes regionais, o que seria apenas no segundo semestre de 2023, segundo o edital. 

José Roberto Nogueira, CEO da Brisanet, estima que os testes da empresa serão iniciados a partir de julho de 2022, com a liberação da faixa para cidades maiores (capitais e o Distrito Federal). Mas a companhia já antevê  valores. "Um site puro standalone em 2023 vai estar em R$ 250 mil. E toda a infraestrutura por trás já está em 1 milhão de euros [R$ 6,6 milhões, na cotação atua]", declarou ele em participação em painel no primeiro dia do Fórum de Operadoras Inovadoras nesta segunda-feira, 22. O evento é organizado por TELETIME e Mobile Time.

Notícias relacionadas

A Brisanet executou testes com a tecnologia 5G no modelo não standalone (NSA) e standalone, e descobriu que seria necessário uma quantidade maior de antenas, que precisariam estar mais próximas, com o SA. Nogueira afirma que encontrou nos testes um alcance em "área vertical" (ou seja, com elevações) de 250 metros, chegando a até 300 metros nas áreas "horizontais". Considerando uma cobertura de cerca de mil residências, alcançando de 5 a 6 mil habitantes, chegou nos valores calculados. 

O valor de 1 milhão de euros, considerado dentro das expectativas para as PPPs, é calculado com valores atuais para uma "solução madura de mercado", segundo o executivo. A companhia já começou a implantar um core 4G com a solução de código livre Magma, do Facebook. "Quem está indo para o edital já está financeiramente e tecnicamente robusto. Todas as empresas têm corpo técnico estruturado", afirma. 

Custos elevados

Já para o CEO da Um Telecom, Rui Gomes, o custo de cada site 5G SA é mais elevado, pelo menos considerando valores atuais. Neste caso, de até R$ 1,4 milhão, na cotação atual do dólar, por ERB. "Hoje o custo que tenho estimado dentro do planejamento de negócios é de US$ 250 mil por site NR [padrão New Radio do 5G], fora o core de rede, que pode ser compartilhado", declarou ele no painel. Porém, ele considera que é possível conectar até 20 mil dispositivos simultaneamente em cada torre, devido à tecnologia empregada nas novas antenas de quinta geração. Isso diluiria o investimento por haver maior oportunidade de receita para cada site. 

Nos cálculos da Brisanet, contudo, será necessário mais torres para abranger essa quantidade de usuários simultâneos. "Pelo alcance que temos feito em testes, precisará três torres para essa área", declara José Roberto Nogueira. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.