ABES indica Rodolfo Fücher para vaga do setor empresarial no Conselho Consultivo da ANPD

A Associação Brasileira das Empresas de Software, indicou Rodolfo Fücher, seu presidente, para uma das vagas destinadas ao setor empresarial no Conselho Nacional de Proteção de Dados Pessoais e da Privacidade (CNPD), da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD). O setor empresarial terá direito a duas vagas no colegiado, com mandato de dois anos, permitida a recondução pelo mesmo período.

No documento em que indica Fücher a entidade diz a sua proposta é "contribuir para a construção de um Brasil mais digital e menos desigual, no qual a tecnologia da informação desempenha um papel fundamental para a democratização do conhecimento e a criação de novas oportunidades para todos".

"Como presidente da ABES, represento cerca de 2 mil empresas do setor, sendo 77% micro e pequenos empresários. Trabalhamos em conjunto para desempenhar um papel fundamental de estimular o desenvolvimento do empreendedorismo, pois entendemos que é vital para assegurar o crescimento econômico e a competitividade do Brasil. Desta forma, pretendo somar minha visão do setor produtivo e de empreendedorismo à experiência jurídica, que caracteriza a maioria dos demais indicados ao conselho pelo setor privado", explica Rodolfo Fücher.

Notícias relacionadas

Atividades na área

Dentro das atividades desenvolvidas pela entidade na área de proteção de dados a ABES destaca o que vem sendo feito para fornecer referências, educar e propagar a cultura de privacidade e proteção de dados ao mercado em geral, não apenas aos seus associados, devido a importância do tema.

Em parceria com a EY, criou a ferramenta online de Diagnóstico LGPD, para que as empresas que estão em fase de implementação de regras de boas práticas e de governança baseada na Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), verifiquem seu nível de adequação ao projeto. Segundo a ABES, a solução consiste em um questionário sigiloso por meio do qual as empresas podem fazer uma auto avaliação referente aos diferentes pontos exigidos pela lei. Após o preenchimento, a ferramenta oferece um diagnóstico quanto ao grau de adequação da empresa com sugestões contextualizadas ao resultado. A plataforma já auxiliou mais de 3 mil companhias no país e se tornou referência nacional de estatística para a imprensa e para decisões de políticas públicas sobre o tema.

Paralelamente ao lançamento do Diagnóstico LGPD, a ABES também destaca ainda na parceria com a EY, o desenvolvimento de uma série de indicadores que demonstram estatisticamente, com base nos diagnósticos realizados, o nível de aderência aos requisitos previstos na LGPD, classificado por porte da organização, seguimento e região geográfica, incluindo análise de três aspectos: tecnologia, processos e pessoas. "Além disso, o dashboard indica o porcentual de empresas que sofreram algum tipo de incidente durante os dois últimos anos, e a taxa de companhias que coletam dados sensíveis", afirma Fücher.

Perfil

Fücher é formado em Tecnologia da Informação pelo Mackenzie, pós-graduado em Marketing pela ESPM, e possui cursos sobre governança corporativa pelo IBGC, estratégia digital pela Columbia Business School, macroeconomia global pelo MIT Sloan School of Management, venture capital pela Berkeley – Hass School of Business, neurociência pela Wharton School, governança e nova economia pelo GoNew, e convergência tecnológica pela Singularity University.

Além da ABES, a Coalizão de Associações de Comunicação pleiteia uma das vagas destinadas aos empresarios, com o nome do advogado e professor Vitor Morais de Andrade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.