Martinhão quer telefonia fixa por autorização mais controlada

Foto: Jean Scheijen/FreeImages.com

O secretário de Telecomunicações do Ministério das Comunicações, Maximiliano Martinhão, defendeu nesta terça-feira, 22, que a concessão de telefonia fixa evolua para um modelo de autorização, porém com mais controle. Por exemplo, garantindo a manutenção do serviço onde ele ainda é necessário.

Segundo Martinhão, está claro dentro do grupo de trabalho que analisa as possibilidade de mudança no modelo de telecomunicações que a tendência é ir para um regime de autorização, mas com mais regulação do que a que existe hoje, para regulamentar rede e continuidade dos serviços. "Usar as forças do mercado com mais controle, deixar de ter a tarifa como meta de expansão", avalia. Ele acredita que muitas alterações no modelo atual podem ser feitas sem necessidade de revisar a Lei Geral de Telecomunicações (LGT), mas é preciso que elas tenham em foco a segurança jurídica.

Sobre bens reversíveis, Martinhão disse que eles fazer parte do contrato, evoluíram com a tarifa, mas que qualquer mudança que se faça é preciso ter segurança jurídica, por meio de transição, transparência na apuração do saldo. "É preciso reconhecer a competição como um fator indutor inclusive da forma de regulação", defendeu

O secretário de Telecomunicações disse ainda que o GT também proporá alteração legislativa, especialmente em aspectos como  o uso dos fundos setoriais. Martinhão disse que proporá um modelo parecido com o da Condecine, utilizado pela Ancine, que consegue aplicar os fundos na evolução do setor. Martinhão participou do evento promovido pela Momento Editorial, em Brasília.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.