Para Comissão Europeia, 5G provocará desregulamentação

Um dos aspectos críticos da quinta geração dos serviços móveis é o aparente impasse entre alguns princípios estabelecidos para a Internet tradicional, como a neutralidade de rede, e o desenvolvimento de serviços que demandam níveis intensos de qualidade de serviço, confiabilidade e diferenciação de tráfego, típicos do ambiente da Internet das Coisas. Recentemente a Comissão Europeia estabeleceu parâmetros bastante duros de respeito a estes princípios da Internet, limitando inclusive o desenvolvimento de modelos de negócio que possam representar uma ameaça a estes princípios.

Mas, ao mesmo tempo, a Comissão Europeia estabeleceu em sua agenda digital prioridade máxima ao desenvolvimento da 5G no continente europeu. Esse conflito apareceu de forma latente durante o Mobile World Congress, principal evento de mobilidade, que acontece esta semana em Barcelona. Ao ser questionado por um participante da plateia sobre como a evolução da quinta geração enfrentará as dificuldades regulatórias, sobretudo em relação às exigências de neutralidade de rede, Günther Oettinger, comissário para a agenda digital da Comissão Europeia, foi evasivo, mas disse que deverá haver uma desregulamentação dos serviços de telecomunicações. "Sou um realista otimista (sobre encontrar uma solução). Nossos parceiros de todo o mundo estão trabalhando em várias questões referentes a neutralidade. Estamos buscando modernizar nossa regulação e legislação. Colhemos comentários no ano passado e estou certo que podemos ser otimistas sobre conseguir modernizar, desregular, e fazer isso no momento certo. Acredito no nosso parlamento", disse ele.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.