SES registra 1,828 bilhão de euros em receita em 2012

A operadora de satélites SES fechou 2012 com uma leve alta na receita em relação ao ano anterior, segundo o relatório financeiro da companhia referente ao último trimestre do ano passado e divulgado nesta sexta-feira, 22. A empresa registrou 468,4 milhões de euros na receita do quarto trimestre de 2012, crescimento de 3,72% na comparação com o 4T11. No acumulado do ano, a receita cresceu 5,5%, totalizando 1,828 bilhão de euros. O melhor desempenho da receita foi o da área negócios internacionais, que inclui as atividades na América Latina. A alta foi de 17,5% no acumulado de 2012 e totalizou 482,6 milhões de euros.

O EBTIDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi de 334,6 milhões de euros, crescimento de 3,53%. Somando os quatro trimestres, o EBITDA cresceu 5,6%, totalizando 1,346 bilhão de euros.  O lucro operacional diminuiu bastante após três trimestres sucessivos de alta: recuo de 26,9%, totalizando 164,8 milhões de euros nos últimos três meses de 2012. No acumulado do ano, a queda foi de 2,2%, ou 790,5 milhões de euros.

A operadora de satélites afirma que os gastos com depreciação foram de 515,6 milhões de euros (aumento de 83,9 milhões de euros) em 2012 devido à variação cambial do euro em relação ao dólar; entrada em serviço de novos satélites; e gastos por conta de falhas no painel solar do artefato AMC-16. Entretanto, o presidente e CEO da SES, Romain Bausch, considerou o ano como "altamente bem sucedido", afirmando que o desafio do switch-off da TV analógica na Alemanha foi superado e destacando o lançamento de três satélites no período.

Negócios

A SES atua na América Latina com a Media Networks Latin America, subsidiária da Telefónica, com um contrato plurianual de multitransponder para o satélite AMC-4 para serviços DTH na América Central e Caribe. O AMC-3 foi realocado para a posição 67°W, onde atua em conjunto com o AMC-4.

No Brasil, a emissora Rede Novo Tempo renovou a capacidade de serviços de TV e rádio do satélite NSS-806. Este artefato está previsto para ser substituído pelo SES-6 em junho, que deverá ser colocado na posição 40,5°W e operar nas bandas C e Ku com 49 transponders adicionais para a América Latina e região do oceano Atlântico. Por sua vez, a Telespazio Brasil deverá aproveitar o SES-4 (posição 22°W, bandas C e Ku) para serviços de VSAT e banda larga. O mesmo artefato será utilizado também pela Level 3 em um novo acordo para prover banda larga corporativa no País e na América Latina, enquanto a Astrium o utiliza para redes de comunicações marítimas na América Latina e Europa.

Planos

A operadora afirmou ainda que quatro satélites deverão ser lançados neste ano: além do SES-6, o SES-8 (para a região Ásia-Pacífico, com 21 transponders) e o Astra 2E (para o Reino Unido e Irlanda, com 12 transponders) serão lançados em junho, enquanto o Astra 5B deverá ser enviado ao espaço em setembro para ser posicionado na órbita 31,5°E (adicionando 21 transponders aos 19 já disponíveis no Astra 1G). O SES-8 será o primeiro a ser lançado pela companhia aeroespacial SpaceX como parte de contrato para três lançamentos com o foguete Falcon 9. Além disso, a SES assinou contrato com a Boeing para a construção do SES-9, que atenderá ao mercado asiático na posição 108,2°E e será lançado em 2015.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.