Com parceria no Piauí Conectado, Multilaser Pro quer avançar junto a provedores regionais

Com parceria fechada em abril para a distribuição de equipamentos de rede da chinesa ZTE, a Multilaser (por meio da marca Multilaser Pro) procura expandir o seu alcance no Nordeste, onde será fornecedora de produtos de tecnologia GPON no programa Piauí Conectado. A companhia fechou acordo com a Globaltask, empresa responsável pelo estudo e projeto de viabilidade de implantação que foi solicitado pela Superintendência de Parcerias e Concessões do governo piauiense. Dentro dessa parceria público-privada (PPP), a fornecedora deverá entregar equipamentos como OLTs, dedicado ao processamento de sinal de rede ótica e gerenciamento do acesso à Internet; e ONT, que recebe o sinal de rede enviado pelo central do provedor e libera o acesso ao cliente final.

O responsável pelo desenvolvimento de produtos da linha de provedores da Multilaser, Filipe Knabben, ressalta que a PPP prevê a extensão do programa a 96 municípios, instalando mais de 5 mil km de fibra, com implantação começando em janeiro e com prazo de dois anos. "Para nós, é muito importante entrar no projeto, porque vamos dar toda a conexão aos municípios com confiabilidade alta na rede para serviços para o governo", declarou. O projeto piauiense também deverá ligar 1.500 pontos de atendimento, substituindo ou modernizando os 700 atuais, com conexões de 30 Mbps. O investimento do governo é de mais de R$ 233 milhões.

O objetivo é, em um primeiro momento, fazer a conexão dos órgãos governamentais. Mas o backbone deverá ser usado também como rede transporte para provedores regionais, como no modelo da Telebras. E assim, promover não apenas a universalização, mas a modernização da infraestrutura no Estado. "Tem regiões precárias de conexão à Internet no Piauí, onde a velocidade se mede em kilobytes", diz. "A PPP vai tirar o Estado da penúltima colocação do ranking de inclusão digital, colocando-o entre os dez maiores", avalia, citando levantamento da de 2017 da Fundação Getúlio Vargas (FGV) que indicava um percentual de 17,39% de residências com acesso à Internet no Estado. A proposta do Piauí Conectado é de levar conexão a 80% da população.

Para a Multilaser Pro, a PPP no Piauí Conectado servirá também como um "case muito importante" para expandir o alcance no Nordeste. Knabben diz que a empresa já tem contratos para fornecer a linha GPON com alguns provedores regionais, e que oferece aos ISPs linha de crédito para adquirir os equipamentos de forma direta, com garantia, suporte técnico e time especializado para atendimento. "Para toda a parte comercial, temos capilaridade para chegar ao Brasil inteiro", conta.

Na avaliação do representante da fornecedora, o movimento dos provedores regionais em direção à fibra ainda tem espaço para crescimento. "Muitos provedores estão migrando para o GPON, mas o mercado de fibra representa entre 13% a 14% nos provedores, então ainda tem muito mercado para virar. Terá muita troca de tecnologia, eles estão entendendo agora a necessidade e virão ao mercado de FTTH", analisa Filipe Knabben. Os equipamentos que serão usados no Piauí Conectado ainda utilizarão a tecnologia XGPON, com capacidade de 10 Gbps na OLT por meio de upgrade simples, apenas necessitando a troca de placa.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.