Claro, TIM e Vivo defendem compra da Oi Móvel em Comissão da Câmara

TIM, a Claro e a Vivo, empresas que adquiriram a Oi Móvel, defendem que todo o processo de aquisição está sendo transparente, respeitando a legislação brasileira e seguindo as decisões da Assembleia Geral de Credores (AGC) da empresa e da Justiça do Rio de Janeiro. Os representantes das três operadoras, e também da Oi, participaram nesta quinta-feira, 21, de audiência pública realizada na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (CFFC) da Câmara dos Deputados, que discutiu a operação.

Carlos Eduardo Medeiros, vice-presidente de Regulamentação e Assuntos Institucionais da Oi, lembrou que o processo de regularização judicial da operadora está transparente e vem cumprindo todos os aspectos legais. Mas mais importante, ele diz que a operadora não teria condições de se manter competitiva. "Se nós colocássemos todo o dinheiro necessário para suprir o gap de cobertura para alcançar o terceiro colocado no mercado, não teríamos um retorno esperado para a companhia no futuro", disse Medeiros.

Medeiros citou que a Oi Móvel tem uma cobertura de municípios quatro vezes menor do que a operadora líder de mercado. "Ou seja, o líder de mercado cobre 300% de municípios a mais que a Oi", ressaltou. O representante da tele também destacou que o processo da venda da unidade móvel teve análise do Ministério Público.

Notícias relacionadas

Já a vice-presidente de Assuntos Regulatórios da Vivo, Camilla Tapias, destacou que operação está sob análise do Cade e da Anatel, e que é uma transação pró-competitiva e que trará benefícios para os consumidores.

Vice-Presidente de Relações Regulatórias, Institucionais e Imprensa da TIM, Mario Girasole lembrou que não foi apenas uma empresa que comprou toda a unidade móvel da Oi, até porque existem regras na legislação brasileira que não permitem a concentração de espectro por uma operadora apenas, por exemplo.

"Nós não levamos tudo porque existem regras. E essa operação respeita essas regras impostas pela legislação. Agora, não dá para mudar as regras do jogo por oportunismo. Queremos criar um ambiente mais propício para receber investimentos que serão feitos no 5G", disse o executivo.

Espectro é bem público

Alex Jucius, presidente da Associação NEO, destacou, na audiência pública, que a operação aumentaria a concentração na faixa de espectro. "Por mais que ela atenda requisitos regulatórios já apresentadores pela Anatel, devemos pensar que o espectro tem uma finalidade de atendimento ao público. Isso é muito mais importante", destacou Jucius.

Ele afirmou que existem hoje no Brasil entre 2 a 3 mil municípios que estão com faixas de espectro não ativadas, ponto que foi rebatido por Girasole: "Nós estamos usando todos as faixas que estão em nosso poder", afirmou o representante da TIM.

3 COMENTÁRIOS

  1. A OI apresenta os melhores planos. Quem fudeu a oi foi aquela compra da pharol que devia os caralhos . Além das telefonicas braaileiras. E que botou na conta da OI com aquele presidente português. Tal de zeinal brava. Que roubou prá caralho. Além do filho do Lula que também roubou .há 2 anos atrás a OI foi vendida por 16,5 só que a oi aumentou sua base de clientes em 25% , a inflação passou de 10% e o dólar em 50%. Considerando assim a molezinna. Que eles querem comprar a OI MÓVEL. Vale 60bi de reais hoje que vai valer muito mais, pois o Brasil é um País continental. A América do sul é quase o Brasil todo.
    S

  2. A oi MÓVEL continua crescendo a base de clientes. Antes tinha 36 milhões e pouco de clientes. Hoje tem mais de 40 milhões de clientes. Quer dizer quase 12% de crescimento. A OI MÓVEL não deve ser vendida, pois, continua crescendo, a FIBRA ÓTICA ESTÁ DISPARADA Na frente dos concorrentes , além dos outros serviços de tecnologia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.