Aumento do tráfego móvel requer capacidade de investimento e escala, diz CEO da Claro

Paulo César Teixeira, CEO da Claro Móvel

[Publicado originalmente no Mobile Time] O tráfego móvel da Claro está aumentando 80% ano a ano. Para dar conta dessa demanda e acompanhar a evolução tecnológica da telefonia celular, que agora entra em sua quinta geração, a operadora precisa de capacidade de investimento e escala. O CEO da Claro, Paulo Cesar Teixeira, usou esses argumentos durante sua palestra no Painel Telebrasil, nesta terça-feira, 21, para explicar que a compra da Oi será benéfica para os assinantes dessa operadora. Ele usou como exemplo a aquisição da Nextel, operadora que tinha uma atuação relevante no Rio de Janeiro e São Paulo, mas cuja capacidade de investimento era limitada. Com a migração para a Claro, esses usuários passaram a ter uma experiência melhor, em uma rede com performance superior, afirmou.

A chegada do 5G deverá impactar ainda mais o tráfego nas redes móveis. "Quando muda o patamar de velocidade, as pessoas tendem a consumir mais", disse. Ele aposta que o enchanced mobile broadband "será a grande estrela" do 5G. E lembrou: "Tivemos um boom das redes moveis durante a pandemia, porque novos hábitos foram incorporados no dia a dia."

Concentração

Notícias relacionadas

Sobre a crítica de que a compra da Oi Móvel teria um efeito negativo em razão do aumento da concentração do mercado, Teixeira citou o exemplo norte-americano: "Os EUA tinham quatro operadoras, sendo duas grandes e duas médias. Agora tem três grandes". 

Cabe lembrar, contudo, que nos EUA o que aconteceu foi a fusão entre o terceiro e o quarto player, não a aquisição do quarto pelos três primeiros, como ocorre no Brasil no caso da Oi. 

Streaming

A Claro está preparando o lançamento de um um app "com todo o conteúdo de TV embarcado", disse o CEO da companhia, Paulo Cesar Teixeira, durante palestra no Painel Telebrasil, nesta terça-feira, 21. O executivo não deu maiores detalhes sobre o projeto, que foi mencionado enquanto comentava sobre o atual cenário competitivo no mercado de TV por assinatura. Sabe-se que a Claro, que já tem o modelo de streaming baseado em uma caixa conectada (Claro Box) tem planos de operar também virtualmente, por meio de aplicativo em múltiplos dispositivos.

Teixeira deu a entender que o app será o próximo passo na estratégia da Claro nesse segmento, depois do lançamento do Claro Box TV, um equipamento de TV pela Internet criado pela empresa no ano passado e que dá acesso a diversos conteúdos sob demanda, assim como à programação linear da operadora, mas via banda larga. A informação já havia sido adiantada pela operadora no Pay TV Fórum, em agosto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.