Switch off em São Paulo e outras capitais acontecerá em 2015, mas desligamento total será postergado

O Ministério das Comunicações está desenhando o plano de apagão da TV analógica e, conforme adiantou este noticiário, prevê o switch off gradual dos sinais analógicos. A novidade, anunciada na abertura do Congresso SET, organizado pela Sociedade de Engenharia de Televisão, é que o governo já trabalha com a possibilidade de postergar o desligamento analógico em algumas localidades. A informação foi dada pelo secretário de Serviços de Comunicação Eletrônica do Minicom, Genildo Lins, no evento.

Notícias relacionadas

A este noticiário, Lins afirmou que o Minicom prevê fazer o desligamento dos sinais analógicos na cidade de São Paulo e de mais duas ou três localidades ainda em 2015. A maioria dos grandes centros urbanos deve seguir o plano previsto no decreto que instituiu o Sistema Brasileiro de TV Digital, de junho de 2016. "Nos Estados Unidos ainda não desligaram completamente a TV analógica", lembra Lins, mostrando a extensão de tempo que a tecnologia analógica pode ganhar nas menores praças.

A diretora de outorgas da Secretaria de Serviços de Comunicação Eletrônica, Patricia Ávila, disse no evento que a Região metropolitana de São Paulo (27 cidades) deve ter o processo de switch off iniciado em março de 2015. Em seguida, virão Brasília e as capitais do Sudeste (com suas regiões metropolitanas, 24 cidades). Ainda em 2015 serão desligadas as capitais do Nordeste, outras 35 cidades.

Em 2016, conta a diretora, será a vez das capitais do Centro-Oeste e do Norte (24 cidades) e do interior de São Paulo, , com 434 cidades. No final do ano acontece o switch off de outras 477, completando a cobertura de grande parte da população nacional, concentrada nas maiores cidades.

Segundo Lins, o Minicom já estuda a possibilidade de reeditar o decreto da TV digital, permitindo que sejam mantidas as transmissões analógicas em diversas praças.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.