RNP amplia rede acadêmica 'Eduroam' para espaços públicos e aeroportos do Nordeste

Foto: Pixabay

A Rede Nacional de Pesquisa (RNP), por meio do projeto Nordeste Conectado, está implantando o Eduroam, rede destinada para fins acadêmicos, em pontos de WiFi públicos em 40 praças em 20 cidades nordestinas.

Em abril, o serviço foi inaugurado em duas praças em Caruaru (PE) e duas em Campina Grande (PB). Desde o ano passado, o Eduroam também está disponível para acesso no Aeroporto Internacional de Salvador, na Bahia, resultado de uma cooperação com a empresa de telecomunicações Linktel.

"Desde o lançamento do Eduroam no Brasil, buscamos parcerias que viabilizassem a sua ampliação, tanto nas Instituições de Ensino Superior como em ambientes públicos que permitissem o acesso ao serviço de WiFi seguro para a comunidade acadêmica. Nos últimos anos, ampliamos sua capilaridade e mais recentemente, com novas parcerias, estamos levando o Eduroam para fora dos muros institucionais", detalhou o diretor de Serviços e Soluções da RNP, Antônio Carlos Nunes.

Notícias relacionadas

Infovia Potiguar

A RNP atua em outras iniciativas para levar a internet sem fio para ambientes públicos com grande circulação de pessoas. Dentro do programa Wi-Fi Brasil, do Governo Federal e desenvolvido pelo Ministério das Comunicações, o projeto Infovia Potiguar prevê a disponibilização do Wi-Fi gratuito com Eduroam em 67 localidades no Rio Grande do Norte e o projeto Infovia Alagoas conectará outros 67 espaços no estado, como praças, escolas, Centros de Assistência Social e Unidades de Saúde. 

Em 2014, Porto Alegre se tornou a primeira cidade da América Latina a oferecer o acesso ao Eduroam em locais públicos. Foram 15 pontos de conexão distribuídos pelo município, entre praças, parques e prédios públicos, em parceria com a Companhia de Processamento de Dados do Município de Porto Alegre (Procempa) e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). 

Como se conectar a uma rede Eduroam?  

Com mais de 3 mil pontos de acesso espalhados por todo o território nacional, o Brasil é o país que conta com a maior rede Eduroam do mundo, entre os outros mais de 100 países usuários do serviço. Podem acessar a rede de WiFi gratuito alunos, professores e pesquisadores de 178 instituições brasileiras, como institutos de educação profissional e tecnológica, centros de pesquisa e hospitais universitários. A autenticação é realizada com as credenciais da instituição de origem do usuário, recebidas no início do vínculo com a instituição – a contratação do professor ou funcionário ou a matrícula de um novo aluno.

Dessa forma, basta que a instituição seja usuária do serviço e que o internauta tenha o Eduroam configurado no computador, celular ou tablet. Uma vez conectado com login e senha, a conexão da rede sem fio acontece de forma automática. No Brasil, para ser uma instituição de ensino e pesquisa provedora do serviço, o único requisito é estar homologada na Comunidade Acadêmica Federada (CAFe). 

Deixe seu comentário