Oi traça planos agressivos para ganhar participação no interior paulista

A Oi quer ganhar musculatura no interior paulista para aumentar sua participação no mercado de telefonia móvel no estado, o mais concorrido do País.

Notícias relacionadas
Atualmente, a empresa detém 18% das linhas móveis ativas em São Paulo, somando-se a base total de usuários do serviço na capital e no interior. “Percebemos que ainda tínhamos áreas brancas, quase sem penetração dos nossos serviços, e decidimos investir mais forte ali”, afirma o diretor de varejo da companhia em São Paulo, Emilio Cesar Busoli.

Para aumentar a presença nas principais cidades do interior paulista, a tele tem investido na abertura de lojas próprias — uma maneira de se aproximar do cliente — e apostado em planos pré-pagos e controle a preços competitivos. “Hoje as vantagens do pré-pago são a porta de entrada do cliente em nossa base e, após conhecer o serviço, ele tende a migrar para outros planos de valores mais altos”, avalia.

De acordo com Busoli, a estratégia tem rendido um crescimento médio de 30% no "fluxo de minutos falados" mês a mês, desde novembro passado, em São Paulo. Para se ter uma ideia do potencial que o interior paulista tem, ainda mal explorado na área de telecomunicações, a participação de mercado da Oi em Campinas saltou de 8,5% em janeiro de 2011 para 10,4% no mesmo mês deste ano. A participação da Oi em linhas pós-pagas em Campinas aumentou 1,9 ponto percentual, para 12,7% em janeiro de 2012. No mesmo período, o market share da Oi em telefones pré-pagos em na cidade passou de 7,8% para 9,5%, acréscimo de 1,7 ponto percentual.

Lojas

Busoli revela que a Oi pretende chegar a 69 lojas próprias em São Paulo neste ano e, em todo o País, a 180 lojas próprias. Outra meta no que diz respeito a essa estratégia é aumentar entre 20% e 30% o número de lojas franqueadas no período, chegando a aproximadamente 250 pontos de venda de aparelhos e linhas da Oi em todo o Brasil. Entretanto, o objetivo da companhia, segundo ele, é crescer de maneira sustentável, sem prejudicar a qualidade do serviço. “Queremos estar entre as duas principais empresas da área no quesito qualidade de sinal”, disse o executivo. Para cumprir com esse objetivo, a operadora vai instalar 300 antenas novas em todo o estado de São Paulo.

Outra estratégia que a Oi pretende adotar, na disputa pelo consumidor final, é a volta do subsídio aos aparelhos, para clientes que contratam planos de custos mais elevados do que o convencional. Entretanto, a maneira como a tele vai trabalhar esta modalidade de negócios ainda está em análise. Embora o executivo evite falar em uma data para consolidar um programa de subsídios, corre no mercado que este pode ser um trunfo da operadora para vender linhas pós-pagas no Dia das Mães, segunda melhor data em vendas para o comércio brasileiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.