UIT propõe em Davos ações para financiamento de infraestrutura de banda larga

Foto: Divulgação/Broadband Commission

Durante a Reunião Anual do Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, a Comissão de Banda Larga para desenvolvimento sustentável, da União Internacional de Telecomunicações e da Unesco, apresentou proposta para ajudar a acelerar o financiamento para aumentar a conectividade. Segundo a UIT nesta terça-feira, 21, a ideia é estabelecer modelos que reduzam o custo do acesso à Internet, assim como "políticas inovadoras" para financiar a implantação de infraestrutura de conectividade para regiões carentes de acesso, especialmente em países menos desenvolvidos. 

Isso inclui não apenas o acesso, mas a "conectividade significativa", isto é, "banda larga que seja disponível, acessível, relevante e barata, mas que também seja segura, confiável e possa empoderar o usuário e direcionar a um impacto positivo", segundo descreve o secretário-geral da UIT, Houlin Zhao, em comunicado. Para ele, a conectividade significativa também precisa ir além de projetos de políticas "genéricas", indo em direção a modelos colaborativos baseados em abordagens holísticas e de compartilhamento de recursos.

No encontro em Davos, os comissários da UIT concordaram que o momento requer ação "rápida, efetiva e inovadora para instrumentos financeiros para conectar os que ainda estão desconectados", conforme disse em comunicado a ministra de TIC e Inovação de Ruanda, Paula Ingabire, representando o presidente do país africano, Paul Kagame, que também é co-chair da Comissão (outro é Carlos Slim, dono da América Móvil). Por sua vez, Houlin Zhao destacou haver pressa. "Enquanto entramos em uma nova década (sic), a última década para alcançar as metas de desenvolvimento sustentável das Nações Unidas, nós precisamos de novos incentivos e soluções de financiamento para criar ambientes que conduzam o investimento em TICs", declarou. 

Vale lembrar que a ONU também divulgou nesta terça-feira um relatório no qual destaca que a diferença do acesso e o custo da conectividade está ligada às desigualdades econômicas e sociais no mundo.

Giga

Entre os modelos apresentados está o projeto de Escola de Conectividade da UIT e Unicef, também conhecido como iniciativa Giga, que pretende conectar todas as escolas em regiões remotas no mundo, com foco em ensino de habilidades voltadas à economia digital. Como base está a premissa de que, até 2030, todo adulto deveria ter acesso de baixo custo, e por isso convoca a ONU a criar uma plataforma para compartilhar políticas públicas digitais. 

A iniciativa Giga tem quatro pilares: mapear em tempo real (com ajuda de inteligência artificial) a conectividade em escolas para mostrar onde há demandas; financiar uma oferta pública para agregar a demanda de conectividade em escolas (acumulando a de múltiplos países) e criar um modelo de custo previsível para tornar a conectividade mais acessível; conectar todas as escolas e criar um sistema de monitoramento para supervisão da qualidade do acesso; e empoderar jovens com capacitação ao investir em soluções de código aberto que possam estar disponíveis para crianças, professores e administradores. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.