Windows 10 terá apps universais, maior integração com Skype e novo navegador, o Spartan

Anunciado no final de setembro do ano passado, uma das maiores novidades do Windows 10 era que o sistema operacional da Microsoft seria unificado para PCs, tablets e smartphones, além do videogame Xbox One, mas a empresa ainda não havia demonstrado como seria a interface móvel. Ao apresentar nesta quarta, 21, mais novidades da versão quase finalizada do software, a companhia finalmente revelou: é absolutamente semelhante ao Windows 8.1, com a tela inicial com os "live tiles" (os tijolos que mostram informações em tempo real de aplicativos), mas com importantes mudanças internas.

O maior chamariz do sistema está justamente em sua natureza compartilhada com outras plataformas. Assim, os aplicativos poderão ser universais, facilitando o desenvolvimento e a distribuição, além de proporcionar maior integração entre PC e dispositivo móvel. É um passo além do que a Apple tem procurado fazer entre o Mac OSX e o iOS, já que a Microsoft tem uma estratégia mais voltada para os desenvolvedores.

O sistema nos smartphones traz vantagens de recursos embutidos. O serviço de mensagens e voz via IP Skype agora é totalmente integrado com o aplicativo de mensagens. Outro é a suíte de edição de documentos Office, que, além de apresentar mesma interface Ribbon e recursos de formatação entre os diversos aparelhos, permitirá continuar o trabalho a partir do ponto em que se parou em qualquer dispositivo.

Já a assistente pessoal por comando de voz Cortana, resposta da Microsoft para a Siri da Apple e o Google Now, terá maior presença no sistema, aparecendo pela primeira vez em versão para desktops. Ela estará integrada também ao novo navegador, o Spartan, que substituirá o antigo (e com reputação manchada) Internet Explorer. A loja de aplicativos agora terá títulos para todas as plataformas, mostrando em destaque os apps já instalados. E haverá também recursos compartilhados de games no app Xbox, pelo menos em tablets e phablets.

O Windows 10 terá uma versão construída para smartphones e tablets com telas menores do que 8 polegadas – durante o evento de apresentação, foi utilizado um Lumia 1520, que tem tela de 6 polegadas. Acima disso, rodará uma versão mais completa, como a de computadores normais. O sistema móvel deverá começar a chegar em versão beta aos smartphones em fevereiro, mas ainda não há informações sobre disponibilidade da versão final. A promessa é que a plataforma será distribuída de graça para quem comprou o aparelho nos últimos 12 meses.

Holograma

A Microsoft encerrou a apresentação com o Windows Holographic, sua nova estratégia para realidade aumentada, embora afirmando se tratar de holografia – na verdade, requer um óculos especial, chamado de HoloLens. É semelhante ao que o propunha o Google, com a diferença que o dispositivo possui hardware dedicado para exibir gráficos projetados na lente com sensação de profundidade. A empresa também adicionou sensores para entender para onde o usuário está olhando. Isso permite que se manipulem objetos virtuais no ar: na demo no palco, a funcionária da companhia montou um disco voador com peças digitais com as mãos, além de dar comandos de voz como "corte" e "cole".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.