Qualcomm abrirá centro de Pesquisa e Desenvolvimento no Brasil

A Qualcomm anunciou nesta sexta, 20, que abrirá um Centro de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) no Estado de São Paulo. O Centro será o primeiro da companhia no mundo a desenvolver o chamado desenho de referência para tablets. De acordo com o presidente da companhia para a América Latina, Rafael Steinhauser, com o desenho de referência produzido pela Qualcomm já adaptado aos chipsets da companhia, os fabricantes ganharão tempo e reduzirão custo de desenvolvimento dos novos tablets. "A ideia é transformar o Brasil em um dos pilares da Qualcomm no mundo", disse ele.

Notícias relacionadas

O Centro terá também um laboratório para desenvolvimento de aplicativos para smartphones e tablets. A companhia não revela o valor do investimento, tampouco o número de pesquisadores envolvidos. Segundo Steinhauser, o Centro deverá ser implantado nos próximos meses.

A Qualcomm ainda anunciou que colaborará com o Programa Ciência sem Fronteiras do governo federal, através do seu braço de investimento Qualcomm Ventures. A companhia também não revela qual invesitmento previsto no programa nem quantos estudantes serão beneficiados. Steinhauser justifica que não pode abrir ao números porque a Qualcomm é uma empresa de capital aberto. Segundo ele, a companhia faturou no ano passado US$ 15 bilhões mundialmente, com crecimento de 36% sobre 2010.

450 MHz

Steihauser voltou a manifestar o comprometimento da companhia com o LTE em 450 MHz. O chipset será desenvolvido também para outras regiões do mundo e será compatível com outras frequências, tanto do LTE quanto do GSM, afirma. Assim, o aparelho terá comunicação de voz e dados na área rural e urbana.

A expectativa do governo e da própria Qualcomm, que tem interesse que o LTE em 450 MHz ganhe escala, é que outros países também leiloem a faixa de 450 MHz para os serviços móveis. "Vamos trabalhar para levar isso para outros países. Já há países da América Latina interessados, como é o caso do Peru, que já usa a faixa", disse o secretário de telecomunicações do Ministério das Comunicações, Maximiliano Martinhão.

De acordo com o secretário, o início das metas de cobertura da faixa de 450 MHz foram alteradas de junho de 2013 para junho de 2014 justamente para que haja tempo hábil para desenvolvimento dos chipsets e dos terminais LTE em 450 MHz. Martinhão lembrou que o CPqD também já anunciou seu desenvovimento de infraestrutura LTE para a faixa de 450 MHz.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.