Publicidade
Início Teletime Barreiras para oferta de serviços devem cair, diz presidente da BrT

Barreiras para oferta de serviços devem cair, diz presidente da BrT

Que o modelo de privatização das telecomunicações no Brasil foi bem-sucedido não há dúvidas, mas também é aceitável que deva ser revisto após dez anos de vigência, afinal o cenário do setor mudou muito. A discussão fez parte do seminário Política de (Tele)comunicações, nesta terça-feira, 19, em Brasília. O usuário que nasceu convergente não quer saber onde está, quer apenas a conveniência de ter o serviço, quer mobilidade, mesmo que esteja em casa. Para o presidente da Brasil Telecom, Ricardo Knoepfelmacher, a Anatel adotou uma postura ?correta e cautelosa? em ver como as forças de mercado têm se comportado. ?Por que não fazemos broadcast, mas só video on demand? Estas barreiras vão cair?, disse o executivo, postando-se como primeiro da fila a pedir licença única, se vier a existir.
Mas o diretor jurídico da Net Serviços, André Borges, mostrou indiferença em relação à licença única: ?Para mim, tanto faz. Estou em situação privilegiada por ter várias licenças.? Referia-se à TV por assinatura, banda larga e telefonia fixa. ?Para mim, a vida está boa do jeito que está.? Mas ele ressaltou que mudanças na regulamentação devem tomar cuidado para garantir a existência de concorrência e evitem a concentração de redes. Sua preocupação é como assegurar que os três serviços sejam competitivos.
?Noto mesmo que eles (Net) têm uma postura confortável e privilegiada?, respondeu Ricardo K. ?Tem que acabar com esses currais?, brincou.

Notícias relacionadas

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sair da versão mobile