Montadoras dificilmente cumprirão novo prazo do Denatran para carros conectados

As montadoras de automóveis dificilmente serão capazes de cumprir o novo prazo estabelecido pelo Contran para a adoção de dispositivos antifurto conectados à rede celular. Teoricamente, a partir de 31 de maio deste ano, 20% dos carros vendidos no País deverão ser dotados do equipamento. O problema é que as montadoras estão atrasadas em seus pedidos de compras desses dispositivos e não conseguirão incluí-los em sua linha de produção a tempo. "Um novo adiamento é praticamente inevitável", afirma uma fonte do setor de telecomunicações que acompanha de perto o assunto. A expectativa do mercado é de que o Contran adie outra vez o cronograma, provavelmente para uma data no segundo semestre.
O que fez as montadoras atrasarem seus pedidos no ano passado foi perceber que o próprio governo não estava fazendo a parte dele: faltava contratar uma integradora para o chaveamento remoto dos SIMcards e gerenciamento da interface entre operadoras e demais empresas envolvidas na prestação do serviço. A necessidade dessa contratação foi percebida em dezembro de 2009, sem tempo de incluí-la no orçamento de 2010. Agora, a solução encontrada deve ser usar o Serpro como integrador. O órgão tem um equipamento com o qual serão feitos testes neste primeiro semestre com alguns automóveis já dotados de dispositivos antifurto.
Novo ministro

Notícias relacionadas
Fontes que acompanham o projeto acreditam que o próximo adiamento será o último. A confiança reside no fato de o novo ministro das Cidades, Mário Negromonte, ser o autor do projeto de lei que cria a obrigatoriedade de instalação dos dispositivos antifurto, em 1997. O Denatran é subordinado ao Ministério das Cidades.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.