Brasil volta a crescer em telefonia móvel em outubro

Em outubro, a telefonia móvel fechou o mês com 269,9 milhões de acessos, recuperando a queda inédita no mês anterior e conseguindo o maior acréscimo na base total desde abril, pelo menos. Foram 1,657 milhão de novas linhas no período, crescimento de 0,61%, de acordo com o relatório divulgado pela Anatel nesta terça-feira, 19, com dados informados pelas próprias operadoras.

Mesmo tendo declarado uma limpeza de base (que resultou na desconexão de 463,3 mil linhas em setembro), a Vivo acabou compensando e superando a queda ao contabilizar o maior crescimento em números absolutos, com 760,7 mil novos acessos. Em seguida veio a Claro (com 482 mil conexões), TIM (290,6 mil) e Oi (87,6 mil). Vale destacar que a Nextel teve o maior crescimento proporcional, com 10,63% entre setembro e outubro, ou 23 mil novos acessos, todos contabilizados ou como handsets 3G, ou como dados 3G (via modems e/ou tablets).

Em outubro, a participação de mercado de cada tele ficou praticamente estável. A Vivo permanece líder com 28,67% do total (77,375 milhões de linhas), seguida por TIM com 27,11% (73,183 milhões), Claro com 25,16% (67,915 milhões) e Oi com 18,56% (50,1 milhões).

O crescimento da base total pode ser explicado por um avanço maior no 3G e uma queda atenuada dos acessos 2G, que, com 2,804 milhões, teve o menor recuo desde julho e totalizou 169,115 milhões de conexões. Quem perdeu mais no GSM desta vez foi a Claro, com 862,9 mil desconexões. A Vivo, que havia perdido mais de 1 milhão no mês anterior, agora apresentou recuo de 774 mil linhas, seguida de perto pela TIM, com 680,7 mil. Já a Oi perdeu 479,8 mil acessos.

Crescimento em recuperação

No 3G, considerando somente os handsets, o mercado cresceu 4,145 milhões de acessos de setembro a outubro, uma recuperação em relação ao mês anterior, quando adicionou menos de 3 milhões de conexões. No total, as teles somam 84,865 milhões de acessos via handsets 3G. A Vivo e a Claro cresceram quase a mesma coisa: 1,307 milhão e 1,304 milhão, respectivamente. A TIM adicionou 956,3 mil acessos e a Oi ativou 555,5 mil linhas. Já a Nextel se recuperou e cresceu 3,9 mil acessos.

O LTE teve o maior crescimento desde abril (quando entrou na contabilidade da Anatel) em números absolutos, com 177,9 mil adições no mês, embora o avanço continue a decair (24,36% de crescimento contra 38,64% do mês anterior). A operadora que mais trouxe base 4G foi a Vivo, com quase 70 mil novas adições, seguida pela TIM, com 52,4 mil novos aparelhos. Claro (37 mil) e Oi (18,5 mil) completam com a terceira e a quarta posições. Conforme esclarecido por este noticiário no começo do mês, o número contabilizado pela Anatel como 4G se trata, na verdade, de aparelhos LTE ativados pelas operadoras, mas não necessariamente com planos 4G vinculados. Portanto, isso não representa exatamente o número de acessos. Além disso, há ainda capitais e outras cidades grandes no País que não possuem cobertura LTE, mas têm usuários que adquirem os handsets homologados para a quarta geração pela agência. Assim, no total, o Brasil contabiliza 730,5 mil aparelhos 4G.

Modems e M2M

O mercado de modems 3G continua a encolher, com queda de 1.649 acessos. Pelo quinto mês consecutivo, as únicas operadoras a crescerem foram a Vivo e a Nextel, com 28,3 mil e 19,1 mil. A Claro perdeu 20,1 mil acessos e a Oi e a TIM perderam 14,7 mil e 14,1 mil cada. No ano, o saldo de crescimento do mercado brasileiro só se mantém positivo com 322,4 mil linhas por conta das tendências de avanço da Vivo e da Nextel. Ao todo, há 7,040 milhões de conexões de dados no País.

Nas conexões máquina-a-máquina (M2M), destaca-se a queda de 23,2 mil acessos da TIM no período e o acréscimo de 129,5 mil linhas da Vivo. O Brasil conta com 8,173 milhões de linhas M2M.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.