Claro: segmento fixo volta a cair, mas receita total fica estável no 3º tri

Cabo coaxial. Foto: Bruno do Amaral/TELETIME

A Claro Brasil encerrou o terceiro trimestre deste ano com receita de R$ 9,876 bilhões, conforme apresentado pelo balanço financeiro da companhia nesta terça-feira, 19, com o consolidado da companhia no País. O resultado é praticamente estável (0,24% de aumento) no comparativo com o mesmo período de 2020. Já no acumulado dos nove meses, a receita foi de R$ 29,514 bilhões, um acréscimo de 0,67%. O resultado é reflexo de mais um período de queda no segmento fixo.

A companhia afirmou que a receita líquida de serviços móveis (celular) obteve crescimento de 8,9% no terceiro trimestre, total de R$ 4,382 bilhões. No consolidado do ano, o avanço foi de 8,3%, total de R$ 12,818 bilhões. 

Porém, a receita fixa (que contém o segmento de banda larga, telefonia fixa e TV por assinatura, além de receitas classificada como "outros") anulou esse crescimento ao mostrar queda de 5,1% no trimestre, totalizando R$ 5,101 bilhões. Também foi um resultado negativo nos nove meses, encerrando setembro com R$ 15,469 bilhões, recuo de 5,2%. 

Notícias relacionadas

No segmento de aparelhos, houve uma redução de 22,7% (total de R$ 271 milhões), mas ainda um crescimento de 6,7% (R$ 855 milhões), no trimestre e nos nove meses, respectivamente. Já em interconexão, houve aumento de 20,1% no trimestre (R$ 122 milhões) e de 4,5% no acumulado (R$ 371 milhões).

A Claro disse haver aumento nas receitas corporativas, em particular de cloud (119,1%), "plataforma de conectividade com Internet" (18,5%), banda larga móvel (170,3%) e M2M/Internet das Coisas (23%).  

EBITDA

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) no trimestre foi de R$ 4,071 bilhões, exatamente o mesmo valor do que no terceiro trimestre de 2020. No acumulado de janeiro a setembro, contudo, houve um avanço de 2,65%, totalizando R$ 12,146 bilhões. 

Por sua vez, a margem EBITDA da Claro chegou a 41,2%, uma queda de 0,1 ponto percentual no comparativo anual. Considerando o acumulado de 2021, houve avanço de 0,8 p.p., chegando a 41,2%. A empresa afirma que a margem no trimestre mostra "jornada de crescimento sustentável dos negócios, apesar de toda pressão inflacionária sobre os custos operacionais".

Operacional

A base de pré-pago encerrou setembro com 28,9 milhões de acessos. Já o pós-pago adicionou 6,6 milhões de clientes, aumento de 19,6%, somando assim 40,3 milhões de chips. No total, a companhia tinha 69,2 milhões de acessos. A operadora destaca ainda a portabilidade, recebendo 360,6 mil linhas no terceiro trimestre e atingindo saldo positivo de 1,3 milhão de linhas em 2021.

Na banda larga, a operadora afirma ter obtido 24,9% de participação de mercado em julho, além de 34,4% de market share nas cidades onde tem "presença de rede", e 37,2% em conexões acima de 34 Mbps.

A cobertura total da rede fixa da Claro está em 34,4 milhões de residências em 330 cidades. Dessas, 127 são atendidas com fibra até a casa (FTTH), um aumento de 26 novos municípios no trimestre. A empresa afirma que são atendidos 2,8 milhões de domicílios com FTTH. 

Na TV por assinatura, a tele diz ter 44,5% de participação. Já o Claro Box TV chegou a 190 mil assinantes no terceiro trimestre, um aumento de 55,7% no comparativo com o trimestre imediatamente anterior.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.