Ministro interino entrega kit da TV digital para beneficiários do Bolsa Família em Rio Verde

O secretário executivo e ministro das Comunicações interino, Francisco Ibiapina, entregou nesta segunda-feira, 19, na cidade de Rio Verde, no interior de Goiás, conversores digitais a beneficiários do Bolsa Família. O município foi escolhido para sediar o teste-piloto do desligamento do sinal analógico de TV (switch-off), que está previsto para o próximo dia 29 de novembro, em função de critérios relacionados à localização, viabilidade técnica e renda per capita.

O desligamento do sinal analógico está condicionado à aferição de que 93% dos domicílios do município já tenham acesso à TV digital. O número de casas aptas a receber o sinal digital ainda não é conhecido, mas o presidente da Empresa Administradora de Digitalização (EAD), Antonio Martelletto, explicou que mais de 95% da população do município já têm conhecimento da mudança a partir das ações de divulgação.

Acompanhado do prefeito de Rio Verde, Juraci Martins, e do presidente da Câmara de Vereadores, Iran Cabral, o ministro interino valorizou a política de inclusão digital, promovida pelo Minicom em parceria com a Anatel, e os avanços que essa iniciativa trará para a população de todo o País.

Notícias relacionadas

"Um aspecto subjetivo, que não é mensurado diretamente, é o envolvimento da sociedade com a TV digital. A comunidade de Rio Verde fez a diferença para alcançar esse salto tecnológico. A inclusão digital é uma das metas principais da gestão do ministro André Figueiredo", destacou Ibiapina. Figueiredo não foi à solenidade por estar na delegação da presidenta Dilma Roussett na viagem a Estocolmo.

"Esse marco tecnólogo mostra que o País está sendo pioneiro, pois teremos o primeiro município sul-americano com sinal totalmente digital", completou o ministro interino, ao pontuar que a política tem como prioridade o foco social, sem gerar a exclusão de nenhuma cidadão.

Para o presidente da Anatel, João Rezende, "a TV digital é um ganho fundamental para o País, que terá um padrão internacional e inovador". "O cidadão, ao assistir pelo novo padrão da televisão, vai vivenciar uma nova experiência, pois a interatividade é diferenciada", lembrou.

"Ao longo do piloto de Rio Verde, percebemos que isso não é só uma mudança tecnológica, mas de evolução social. Para o sucesso desse processo, a parceria entre as esferas de governo e as empresas de comunicação é fundamental", acrescentou o representante da EAD, Antônio Martelletto. A empresa foi criada para coordenar o processo de transição do sinal e de entrega, até 2018, dos conversores para os cidadãos cadastrados no Bolsa Família em todo o País.

Nesse processo nacional de transição, a EAD garantirá também, a partir de suporte didático e campanhas de conscientização, que a população brasileira usufrua dos benefícios TV digital em sua plenitude.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.