República Tcheca diz não ver ameaça de fornecedores como Huawei e ZTE

Secretário de estado dos EUA, Mike Pompeo, e primeiro-ministro da República Tcheca, Andrej Babiš

Em turnê pelo leste europeu na semana passada, o governo dos Estados Unidos encontrou certa resistência diplomática no argumento contra a China, incluindo na implantação da tecnologia 5G com fornecedores como Huawei e ZTE. Enquanto na Sérvia houve uma assinatura de memorando de entendimento, na República Tcheca o governo procurou destacar que não vê grandes problemas na relação com ambos os lados.

O contexto é que o secretário de estado dos EUA, Mike Pompeo, está promovendo uma espécie de cruzada contra os chineses, incluindo no bojo argumentos não apenas de cibersegurança, mas também de "ameaças ao modo de vida" e à liberdade. Mas em coletiva de imprensa conjunta com o governo tcheco, o clima não foi tão favorável aos norte-americanos.

O primeiro-ministro da República Tcheca, Andrej Babiš, afirmou, especificamente sobre 5G: "Somos um país soberano e eu não vejo nenhuma ameaça substancial aqui, mas, claro, somos muito prudentes". Ele explicou que, na relação comercial com a China, o país do leste europeu está alinhado com a União Europeia, e que "compartilha a mesma opinião" dos aliados. "Mas não temos nenhum problema grande aqui."

Segundo o site local MF Dnes, o governo não chegou a tomar lados no momento. "Temos que lidar com o problema pela UE. Sobre os leilões de 5G, não temos nenhuma decisão ainda. Organizamos reuniões e todo mundo tem alguma opinião sobre isso. Alguns dizem que a Huawei não se importa em prevenir qualquer influência. Outros dizem que isso não é possível. Por isso estamos organizando uma reunião em setembro, para discutir mais o assunto".

OTAN

Nas redes sociais, Pompeo afirmou que a República Tcheca é um "aliado crítico", e afirmou estar empolgado com a relação. A visita, realizada no dia 11 de agosto incluiu um discurso no Senado local, no qual o secretário rebateu argumentos do ministro das relações exteriores da China, Le Yucheng, de que estaria havendo uma Guerra Fria 2.0 entre o país e os Estados Unidos. "O que está acontecendo agora não é a Guerra Fria 2.0. O desafio de resistir à ameaça do PCC [Partido Comunista Chinês] é, de algumas formas, muito mais difícil", declarou. 

Segundo afirmou, os Estados Unidos estão "refocando" a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) para "ameaças emergentes". E, com isso, convida a Rep. Tcheca a participar da iniciativa Clean Network, um grupo de "países e companhias que se recusam a sacrificar a cibersegurança apenas para economizar um pouquinho de dinheiro". Vale ressaltar, contudo, que Pompeo e o primeiro-ministro Adrej Babiš assinaram em maio uma declaração de criar mecanismo para encontrar "fornecedores confiáveis" para as redes 5G

Outros países

Mike Pompeo também ressaltou que pretende "continuar os esforços para promover segurança de dados" com a Eslovênia, com quem afirma ter assinado uma declaração conjunta com o ministro das relações exteriores que "exclui fornecedores não confiáveis de redes 5G". No roteiro de viagens, Pompeo também passou pela Polônia, inicialmente para discutir segurança  do flanco ocidental da OTAN, mas também segurança 5G. O tema de telecomunicações, contudo, não voltou a ser mencionado pelo secretário. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.