Fundo Bordeaux assumirá 97,4% do capital da Sercomtel após aporte

Fotos: Vivian Honorato

Vencedor do leilão pelo controle da Sercomtel, o fundo de investimentos Bordeaux deve ficar com 97,4% da operadora após realizar o investimento de R$ 130 milhões previsto no edital do processo. A simulação é da Prefeitura de Londrina, atual controladora da Sercomtel.

As informações foram divulgadas nesta quarta-feira, 19, durante coletiva realizada pela administração da cidade um dia após o leilão. Segundo o secretário de gestão londrinense, Juarez Tridapalli, com a concretização do aporte mínimo de R$ 130 milhões, as ações da Prefeitura, da Copel e de minoritários serão diluídas para 2,6%, enquanto o Bordeaux ficaria com 97,4%.

Conforme edital, o fundo ainda tem obrigação de adquirir as ações remanescentes após a conclusão da transferência do controle. Pela participação, a simulação da Prefeitura prevê aproximadamente R$ 4 milhões a serem repartidos entre a administração, a Copel e os minoritários, deixando cerca R$ 2 milhões para a cidade. Hoje, Londrina detém 50% do capital da operadora e a estatal paranaense de energia (que também está vendendo a Copel Telecom), 45%.

Em paralelo, a Prefeitura ainda deve receber ações que a operadora detém na Sercomtel Iluminação e na Sercomtel Contact Center, que vão seguir na esfera pública (ao contrário do negócio de Internet e telefonia). Além disso, uma dívida judicializada de R$ 30 milhões da cidade com a empresa de telecom deixa de existir.

Transição

Também existe o compromisso da adquirente manter operações da empresa em Londrina. Sobre o quadro de funcionários, demissões não devem ocorrer até o fim do processo de transferência do controle, de acordo com a administração; já a partir deste momento, o tema será decidido pelo Bordeaux.

"Ontem foi o início do processo, o primeiro e maior passo. Agora precisamos construir caminho para que essa transferência seja feita. A previsão é que demore três meses e ao final do processo, quem assume controle acionário assume as coisas boas e os passivos", afirmou o prefeito da cidade, Marcelo Belinati.

Histórico

Segundo Belinati, o processo seria uma vitória para Londrina visto que a insustentabilidade financeira da Sercomtel deixava em risco as finanças da cidade. Após o processo de caducidade da concessão da empresa aberto pela Anatel em 2017, um levantamento feito pela Ernst & Young calculou que o passivo da operadora poderia alcançar até R$ 600 milhões.

Desde então, um profundo corte de gastos e a revisão de dívidas trabalhistas e tributárias foram realizados. Após uma proposta dos minoritários para aporte de R$ 120 milhões mediante transferência do controle e lei aprovada pelo legislativo municipal, a Prefeitura da cidade decidiu abrir concorrência pelo ativo.

Após o fracasso da primeira tentativa de leilão realizada em janeiro, a empresa revisou seu valuation para R$ 170 milhões negativos (considerando ativos menos a dívida) e fixou o valor mínimo de R$ 130 milhões em investimentos para interessados na operação. Administrado pela Planner e gerido pela Planner Corretora, o fundo Bordeaux venceu o processo com proposta única de R$ 0,10 por ação, ou ágio de 900% sobre o preço referência de R$ 0,01.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.