Itália vai aportar 2,7 bi de euros em vouchers e subsídios para Internet

O estímulo à economia que o governo italiano vai oferecer na esteira da pandemia do novo coronavírus (covid-19) deve incluir a disponibilização de 2,672 bilhões de euros destinados a vouchers de serviços de telecom para pessoas, empresas e escolas. O montante também engloba subsídios para implantação de redes fixas em áreas com déficit de cobertura.

A decisão do país foi elogiada nesta terça-feira, 19, pelo CEO da Telecom Italia, Luigi Gubitosi, durante call sobre os resultados do grupo (controlador da TIM) no primeiro trimestre. "Essas são grandes notícias", afirmou. "O governo italiano está reconhecendo quão importante é a conectividade e comprometendo recursos para o setor".

Notícias relacionadas

Do total de recursos, 1,146 bilhão de euros serão destinados para vouchers. O apoio será de 500 euros para famílias de baixa renda (com início da distribuição a partir de julho) e de 200 euros para demais grupos familiares. Os valores poderão ser utilizados tanto para contratação de novos serviços quanto para upgrades.

Determinadas empresas também terão acesso ao programa; neste caso, o valor do apoio pode variar entre 500 euros e 2 mil euros. A previsão é que os vouchers B2B demandem 500 milhões de euros, enquanto os voltados para o consumidor final exijam 600 milhões de euros. Com exceção do benefício mirando famílias de baixa renda, os demais vouchers precisam de aprovação da Comissão Europeia, com implementação prevista a partir de setembro.

Escolas e áreas cinzentas

Outra linha de ação do governo italiano será a conexão de mais de 32 mil escolas, com velocidades entre 100 Mbps e 1 Gbps. Para tal, estão previstos 400 milhões de euros, com roll-out previsto a partir de 2021. A expectativa é de contratos de atendimento de cinco anos.

Já outros 1,126 bilhão de euros serão destinados para implantação de nova infraestrutura em distritos industriais considerados "áreas cinzentas", ou com déficit no atendimento. Regiões com maior densidade de negócios devem ser priorizadas; a expectativa é de roll-out entre 2021 e 2023.

Tanto a política para escolas quanto o subsídio para infraestrutura em áreas cinzentas exigirão aprovação da Comissão Europeia. Em caso positivo, as licitações devem começar a partir de setembro. Durante a call de resultados da Telecom Italia, o CEO da operadora afirmou esperar que as medidas do governo impulsionem a demanda por redes fixas nos próximos trimestres, ajudando a criar um mercado mais amplo no pós-pandemia. Segundo Gubitosi, a empresa está preparada para capturar uma "parcela justa" dos incentivos em conectividade.

Brasil

No Brasil, a adoção de vouchers que assegurem a conectividade de famílias de baixa renda durante a crise do covid-19 está ganhando força no debate público. Conforme projetos de lei, uma fonte de financiamento possível para a iniciativa é o Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.