Operadoras temem concorrência predatória no tráfego inter-regional

As discussões na Telexpo, já acaloradas com os clamores junto à Anatel para apressar a efetiva concorrência na telefonia fixa, ganharam mais um ingrediente com o alerta dos executivos da Intelig e Embratel sobre uma possível competição predatória das incumbents locais na longa distância inter-regional. O temor baseia-se na esperada extensão das vantagens oferecidas atualmente pelas operadoras locais para o tráfego de longa distância dentro de suas atuais áreas de concessão para as chamadas para outras áreas do País, quando puderem realizá-las. "Isso será um tiro no coração para as empresas de longa distância", diz Alain Rivière, vice-presidente de assuntos regulatórios da Intelig. As operadoras locais, segundo ele, deverão descontar os custos de interconexão na origem e terminação das chamadas, oferecendo preços imbatíveis. Estas tarifas absorvem 55% da receita da Intelig e 70% da receita da Embratel. Fernando Xavier diz que a Telefônica não será adepta de estratégias predatórias no mercado de longa distância. Porém, sobre as possíveis vantagens que operadora tirará na interconexão, limita-se a dizer que "as operadoras de longa distância tinham condições de analisar as regras de mercado quando assumiram suas concessões".

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.