F5G: padronização para rede fixa de quinta geração alcança 58 membros, incluindo Oi e Huawei

O esforço global para padronização de elementos de rede de fibra ótica de quinta geração (Fifth Generation Fixed Network, ou F5G) já está reunindo 58 companhias de cadeia de telecom, incluindo a brasileira Oi e a fornecedora de equipamentos Huawei. O F5G se caracteriza por combinar vários elementos de maneira totalmente integrada, como acesso XG-PON, distribuição indoor com WiFi6 e funcionalidades similares às do 5G, como virtualização, slicing e baixíssimas latências.

Durante evento da Aliança Conecta Brasil F4 realizado nesta sexta-feira, 18, o avanço do trabalho em F5G conduzido pela European Telecommunications Standards Institute (ETSI) foi destacado. Em maio, o grupo de padronização reunia somente 32 players. Telecom italia, FiberHome, ZTE, CommScope e Orange estão entre aqueles que participam dos trabalhos.

Representando o time da ETSI responsável pelo F5G, o VP da Futurewei, Frank Effenberger, notou que ao contrário da indústria móvel, "no mundo fixo não há essa coordenação [de padrões], o que leva a certa confusão entre operadores sobre o que é a próxima geração de redes".

Notícias relacionadas

Com a padronização, o alinhamento dos equipamentos nas redes fixas poderia permitir novas capacidades. Entre elas, velocidades de até 10 Gbps, otimização para uso em redes domésticas com WiFi6 e funcionalidades similares às do 5G, como slicing de rede.

"As redes fixas sempre tiveram baixa visibilidade comparando com o wireless. Quase todo governo tem políticas em 5G wireless, pois eles já realizaram que vai ser algo grande. Temos que ter o mesmo tratamento na rede fixa", defendeu Effenberger.

A Oi já anunciou estar executando testes com velocidades de 1 Gbps ainda em GPON, mas que deverá adotar o padrão F5G (com XGS-PON) para oferecer conexões de 1 a 10 Gbps."A infraestrutura de próxima geração é importante também para as móveis e para as ofertas de redes neutras", destaca o presidente da operadora, Rodrigo Abreu. Com a tecnologia, a tele também está migrando a capacidade do backbone para 400 Gbps e 1 Tbps.

Huawei

Uma das grandes entusiastas do F5G é a Huawei, que já avançado com a tecnologia na Ásia. CEO da fornecedora no Brasil, Sun Baocheng lembrou que, por aqui, a fibra ótica se tornou a principal tecnologia fixa de acesso, motivando um ritmo intenso de expansão por parte das operadoras.

"O F5G é uma tecnologia para o céu e para a terra", afirmou o executivo, apontando que o sucesso padrão não dependerá apenas de redes sem fio. Segundo Baocheng, um segmento que deve sentir de forma direta o impacto do F5G é o de games, emergente no Brasil e ansioso por menores latências. Mas a opção também deve suportar operações de finanças, saúde e energia conectadas, além de ajudar a habilitar redes privadas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.