Angola Cables e Nokia testam rota ótica expressa entre África e EUA

Foto: Pixabay

A operadora de infraestrutura Angola Cables e a Nokia concluíram, no último dia 13, testes de uma rota ótica expressa entre Luanda, na Angola, e Boca Raton, nos EUA. Para tal, foram utilizados os dois sistemas de cabos submarinos operados pela empresa africana (o SACS, que interliga Luanda e Fortaleza, e o Monet, que conecta Fortaleza e Boca Raton, com extensão até São Paulo), além de tecnologia da fornecedora finlandesa.

"Ao interconectar opticamente o Monet e o SACS, a Angola Cables pode reduzir mais ainda a latência entre os provedores de conteúdo na América do Norte e os mercados de consumo de dados, que se encontram em ascensão a nível de crescimento na África", afirmou, em comunicado, o administrador para área técnica da operadora angolana, Ângelo Gama. A rota já está disponível para uso comercial.

Segundo dados apresentados pela Angola Cables, os roteamentos entre Luanda e Miami (EUA) tiveram latência reduzida para 123,4 ms com ajuda da rota transatlântica de 12.635 km de extensão. Entre a Cidade do Cabo (África do Sul) e Miami, o indicador ficou em 162ms; já entre Joanesburgo (também na África do Sul) e Miami, a latência foi para 180ms.

Na empreitada, coube à Nokia o fornecimento de equipamentos da linha 1830 Photonic Service Switch (PSS), que ampliaram a capacidade da infraestrutura ótica da parceira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.