Embratel comemora 50 anos da transmissão da viagem à Lua

Astronauta Buzz Aldrin na Lua. Foto: Nasa

A Embratel comemora neste sábado, 20, o aniversário de 50 anos da transmissão da chegada do homem à Lua. Na ocasião, o feito dos astronautas norte-americanos Neil Armstrong e Buzz Aldrin (que efetivamente desceram ao satélite, enquanto Michael Collins pilotava o módulo de comando Columbia) foi transmitido pela TV a todo o Brasil por meio da tecnologia da operadora a partir da então recém-inaugurada Estação Tanguá, na região metropolitana do Rio de Janeiro. 

A transmissão no centro Tanguá foi realizada por meio de uma estrutura satelital e de uma antena parabólica de 30 metros de diâmetro. Para garantir o envio de sinais, os profissionais da operadora se revezavam em turnos. A companhia diz que o feito a motivou a continuar investindo em satélites e em novas tecnologias.

"A Embratel fez o que era inimaginável para um país da América Latina na época. Para transmitir a chegada do homem à Lua, investiu em tecnologias e profissionais altamente capacitados, garantindo aos brasileiros a experiência de assistir a um dos maiores acontecimentos do mundo", afirmou em comunicado o CEO da Embratel, José Formoso.

O voo da missão Apolo 11 começou no dia 16 de julho de 1969, a partir do Complexo Espacial Kennedy, no Cabo Canaveral, Flórida (EUA). Após pousarem na Lua no dia 20 e ao completar oito dias no espaço, os astronautas pousaram em segurança no Oceano Pacífico no dia 24 de julho daquele ano.

A estação Tanguá em si completou 50 anos em fevereiro. Ela foi o embrião do Sistema Brasileiro de Telecomunicações por Satélite (SBTS), primeira rede de satélites domésticos da América Latina, 100% operada por brasileiros da Embratel. Atualmente, a unidade é um sistema alternativo ao principal centro de controle da Embratel Star One, que por sua vez fica localizado em Guaratiba (RJ). 

Na unidade fluminense, a companhia opera satélites como o Star One D1, lançado em 2016 na posição orbital 84º Oeste e operando nas bandas Ka, C e Ku. Em 2020, a empresa espera lançar o Star One D2, com potência estimada de 19,3 KW e massa de lançamento de 7 toneladas. Terá 28 transponders em banda C, 24 transponders em banda Ku e 20 Gbps de capacidade em banda Ka. Ocupará a posição orbital de 70° Oeste e oferecerá capacidade para dados, vídeos e Internet para órgãos do Governo e grandes empresas que atuam nas Américas do Sul e Central, incluindo o México. Também possibilitará a transmissão de sinais para TV por assinatura, além de atender às demandas de backhaul de telefonia celular.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.