Anatel deverá concluir estudos para uso da faixa de 3,5 GHz até junho

Espectro eletromagnético, radiofrequência, frequência

Deixada de fora do leilão de sobras realizado em novembro do ano passado, a faixa de 3,5 GHz ainda está sendo avaliada pela Anatel. Estudos técnicos procuram resolver problemas de interferência com aplicações de satélite (banda C): caso consigam identificar e solucionar isso, a banda poderá ser considerada novamente para o serviço móvel pessoal (SMP). De acordo com o gerente geral de espectro, órbita e radiodifusão da agência, Agostinho Linhares, essa etapa de estudos será concluída em dois meses. O período confirma a previsão do conselheiro Rodrigo Zerbone, que em sua análise estipulou a conclusão da área técnica para junho. "Em nível técnico, queremos fazer a apresentação dentro da agência até o final do semestre", declarou ele em conversa com jornalistas nesta segunda, 18, após seminário de 5G na Fiesp, em São Paulo.

Linhares explica que a conferência da União Internacional de Telecomunicações (UIT) em novembro estabeleceu o uso da faixa para sistema móvel internacional de telecomunicações (IMT, na sigla em inglês), já que antes apenas alguns países a adotavam. "Na Anatel estamos fazendo reavaliação da convivência do sistema IMT com aplicações por satélite para avaliar quais condições precisariam ser acrescentadas em uma possível nova regulamentação para garantir a convivência, porque a faixa tem de ser utilizada (no SMP), mas garantida a continuidade dos serviços existentes", declara. Concluídos os estudos e encontrada soluções, a faixa de 3,5 GHz seria considerada novamente para um novo eventual leilão, ainda sem data definida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.