Dados móveis puxam receita da América Móvil no primeiro tri

No balanço financeiro da América Móvil referente ao primeiro trimestre, o segmento de dados móveis foi aquele cuja receita registrou maior crescimento em comparação com o mesmo período do ano passado: 25,6%. Em segundo lugar ficou o segmento de TV por assinatura, que teve aumento de 19,8%. Esses percentuais não levam em conta a variação cambial no intervalo de 12 meses, esclarece a companhia em seu balanço. Entre janeiro e março de 2013, dados móveis responderam por 22,3% do faturamento total do grupo com serviços, o que equivaleu a 38,9 bilhões de pesos mexicanos, perdendo apenas para voz móvel, que representou 39,9% (ou 69,6 bilhões de pesos mexicanos).

Ao todo, o grupo teve faturamento de 193 bilhões de pesos mexicanos no primeiro trimestre, praticamente estável em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram computados 192,5 bilhões de pesos mexicanos. A companhia atribui a estagnação à valorização da sua moeda em relação àquelas dos países onde estão localizadas suas subsidiárias. Em 12 meses, o peso se valorizou 2,8% frente ao dólar e 16,2% em relação ao Real, por exemplo.

O Ebitda do primeiro tri caiu 6,8% na comparação anual, baixando para 63,8 bilhões de pesos mexicanos. O lucro líquido, por sua vez, diminuiu 17,4%, fechando o trimestre em 26,9 bilhões de pesos mexicanos.

Em termos operacionais, a base de usuários da América Móvil aumentou 7,4% entre março de 2012 e março de 2013, passando de 306 para 328 milhões. Desse total, 263 milhões são assinantes de telefonia móvel, base que cresceu 6,9% nesse intervalo. E 65 milhões são usuários de serviços de telefonia fixa, Internet fixa e/ou TV, base que cresceu 9,5%.

Brasil

O faturamento total da América Móvil no Brasil no primeiro trimestre foi de R$ 7,89 bilhões, o que representa um crescimento anual de 3%. Desse total, a receita móvel respondeu por R$ 3,15 bilhões, tendo registrado queda de 3,3%, puxada por uma redução de 4% no faturamento com serviços. O que compensou foi o aumento de 6,4% na receita de telefonia fixa e outros serviços, que passou de R$ 4,8 bilhões para R$ 5,1 bilhões entre o primeiro trimestre de 2012 e o mesmo período deste ano. O Ebtida no País caiu 3,3%, fechando em R$ 1,94 bilhão no primeiro tri de 2013.

Em números absolutos, o Brasil foi o país que registrou o maior crescimento de assinantes de telefonia móvel do grupo, passando de 61,6 para 66,3 milhões em 12 meses.  Desse total, 52,9 milhões são pré-pagos e 13,4 milhões, pós-pagos. A média de minutos de voz trafegados por mês por usuário (MOU, na sigla em inglês) subiu 15% em um ano, alcançando 121 minutos. E a receita mensal média por usuário (ARPU, na sigla em inglês) caiu 11,1%, baixando de R$ 17 para R$ 15.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.