Tráfego no IX.br chegará a 10 Tbps, mas ainda não é impacto do coronavírus

Os efeitos da necessidade de trabalho remoto e isolamento por conta da pandemia do novo coronavírus (covid-19) na infraestrutura de Internet ainda não são significativos. O que se observou até agora, além de uma tendência de crescimento (que ainda pode ser considerada como parte da evolução natural de uso da rede), é a mudança de horários de maior tráfego. Segundo o gerente de infraestrutura do ponto de troca de tráfego Internet Exchange – IX.br (antigo PTT.br), Júlio Sirota, é um perfil de consumo de dados mais alto às tardes nos dias úteis – semelhante ao perfil dos domingos, e em grande parte graças ao consumo de vídeo. "A Internet é muito resiliente, tem muita redundância", afirma. 

Há uma mudança de volume de dados trafegados em relação ao começo deste ano, mas não se pode concluir que é por conta do impacto do coronavírus. Em dezembro, o IX.br registrou um agregado total de 8 Tbps. "Provavelmente nesta semana, vamos chegar a 10 Tbps. Temos observado um aumento constante no volume de tráfego nos últimos três meses, e isso é provavelmente uma coisa contínua", contou Sirota a este noticiário. "É um aumento natural", avalia. Nesta quarta-feira, 18, o total agregado é de 9,52 Tbps.

Notícias relacionadas

O IX.br, projeto do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) coordenado pelo Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR, é por onde passa grande parte do tráfego da Internet brasileira. Mas esse é um nível hierárquico acima da camada de acesso das operadoras. "Para a gente [do IX.br], isso já faz parte. No fundo, estamos interligando as redes", declara. Além disso, as operadoras e provedores de Internet possuem redes de distribuição de conteúdo (CDNs), que otimizam o tráfego dentro da própria infraestrutura. "A gente não consegue perceber essa mudança de uso doméstico em relação a do escritório. É muito pouco significativo, percentualmente, em relação ao volume de tráfego que temos visto nos diversos data centers", afirma.

Na opinião de Sirota, do ponto de vista operacional, não se está percebendo restrição de acesso a data centers ou algo que possa trazer impacto à Internet dos usuários. Ele conta que na Itália, onde há um grande volume de casos de infecção, há restrições de circulação da população, o que limita o acesso a um data center, por exemplo. "Aqui não temos isso ainda", diz. 

Tráfego total agregado registrado nesta quarta-feira, 18. Gráficos são do dia, da semana e do mês, respectivamente.

Questão operacional

A infraestrutura do IX.br em São Paulo está garantida com a equipe técnica, mas no caso dos 32 outros PTTs espalhados pelo Brasil, há uma preocupação. Isso porque boa parte das atividades de manutenção são feitas pela equipe paulista, que precisaria viajar até esses pontos de troca de tráfego. 

O NIC.br está seguindo orientações da Secretaria de Saúde do Estado de SP, e há certas flexibilizações em relação ao trabalho remoto de funcionários, mas há suspensão para viagens e deslocamentos no momento. "A gente tem algumas atividades nas quais usamos remote hand nas localidades, então a gente consegue fazer manutenção", diz Sirota. Mas, por enquanto, não há como ampliar capacidade ou trocar equipamentos nesses PTTs, e a entidade precisa reorganizar os planos. "A gente só vai fazer viagem se for emergencial. Eventuais desenvolvimentos de novas localidades, aumento de capacidade e outras coisas que planejávamos fazer estão suspensos, vamos postergar por algumas semanas para decidir", explica. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.