CAE aprova uso do Fust para financiar rede móvel em localidades com mais de mil habitantes

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE) aprovou nesta terça, 17, o PLS 222/2017, de autoria do senador Jader Barbalho (MDB-PA), que propõe o uso do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) para financiar a expansão da rede de telefonia móvel em localidades com mais de mil habitantes. O relator da matéria foi o senador Otto Alencar (PSD-BA). O projeto segue agora para a Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT), que deverá tomar decisão em caráter terminativo.

No seu relatório, Otto Alencar destacou que a obrigatoriedade de cobertura estabelecida pela Anatel se limita a 80% da área urbana do distrito sede do munícipio. Em relação aos distritos não sede, cuja obrigação de cobertura não está prevista pela regulamentação da agência, a cobertura ainda é mais deficiente.

Notícias relacionadas

O senador da Bahia apresenta dados do Plano Estrutural de Redes de Telecomunicações (PERT), que registra que, dos 4.717 distritos não sedes, restariam desatendidos 2.012 sem sequer uma antena (ERB) instalada – ou seja, 19,5% do total. Otto aponta ainda que a cobertura 4G também é deficiente, sendo que 1.085 municípios permanecem sem acesso a essa tecnologia. Na tentativa de corrigir isso, Alencar diz que, caso se queira metas mais ousadas que prevejam o atendimento de distritos sem atividade econômica, é preciso utilizar os recursos do Fust para viabiliza-las.

O relatório de Otto Alencar apresenta três emendas, que na sua essência liberam o uso dos recursos do Fundo para a ampliação dos serviços de telefonia móvel; condiciona o uso dos recursos à obrigação de cobertura dos serviços de telecomunicações móveis dos distritos com população superior a mil habitantes dentro da área de operação da tele; e permite que, para as autorizações em vigor, estes recursos possam ser utilizados para complementar as obrigações de cobertura previstas no projeto de lei.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.