Telefônica diz ter concluído ajustes e quer retomar vendas do Speedy

A Telefônica anunciou nesta sexta-feira, 17, a conclusão do plano de melhorias para a estabilização do seu serviço de banda larga (Speedy) entregue à Anatel no último 26 de junho. O anúncio ocorre com nove dias de antecedência, uma vez que a agência havia dado à operadora um prazo de 30 dias para colocar o projeto em operação. O presidente da Telefônica, Antônio Carlos Valente, informou que foi enviada carta ao embaixador Ronaldo Sardenberg, presidente da Anatel, comunicando a conclusão da etapa de estabilização do Speedy e solicitando a liberação da comercialização do serviço, que está vetada pela agência desde 22 de junho. Segundo ele, representantes da Anatel visitarão o centro de operações da Telefônica nos dias 20 e 21 deste mês para analisar as medidas implementadas. Segundo declarações do presidente da Anatel em Brasília, contudo, é improvável que uma decisão sobre o tema seja tomada na próxima semana.
Medidas implementadas
As melhorias implementadas custaram R$ 16,1 milhões e incluem a duplicação de capacidade de resolução dos servidores DNS; 100% de contingenciamento para os pontos internacionais de conexão Internet (toll-gate), responsável pela conexão da rede da Telefônica com a Internet em todo o mundo, que passa de 60 para 100 Gb em cada uma das duas saídas por meio de cabos submarinos; a ampliação em 20% da capacidade do backbone IP entre São Paulo e interior; e a consolidação do novo modelo de realização de trabalhos programados.

Notícias relacionadas
Medidas futuras
A partir do sucesso dessa primeira fase de estabilização da rede do Speedy, outros dois pacotes de medidas estão previstos a fim de ampliar a capacidade da infraestrutura e demandarão investimentos de R$ 52 milhões. O primeiro, de 90 dias – a contar de 26 de junho – está orçado em R$ 33,6 milhões e prevê a expansão do toll-gate internacional em 130%; a ampliação do core IP entre São Paulo e interior em 150% da capacidade total; a segmentação da rede IP realizada e conclusão da migração de 55% dos clientes; e a ampliação e implantação de ferramentas de segurança (TMS, peak-flow e opnet). Segundo Valente, no final de agosto devem começar os primeiros testes desta etapa. O segundo pacote, previsto para até 180 dias, absorverá investimentos de R$ 18,4 milhões. Nele estão contemplados a ampliação de dois para quatro centros de serviços para o aumento da contingência física; segmentação da rede IP e conclusão da migração de 100% dos clientes; e contingenciamento total dos anéis Metro Ethernet. Somados aos R$ 16,1 milhões da etapa de estabilização da rede, os investimentos totalizam R$ 67,1 milhões e fazem parte dos R$ 750 milhões que a Telefônica gastará com as melhorias do Speedy em 2009.
Veja na seção "download" do site TELETIME a o cronograma de implantação do plano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.