Viasat altera contrato para escolher novo foguete no lançamento do ViaSat-3

Foguete Ariane 64. (Foto: Divulgação)

[Atualizada em 18-06] A Viasat e a Arianespace alteraram o acordo original assinado em 2016 para o lançamento do satélite ViaSat-3. Segundo informaram as empresas nesta segunda-feira, 17, a modificação é o veículo: em vez do Ariane 5 ECA, as companhias combinaram de efetuar o lançamento por meio do foguete de nova geração Ariane 64 (A64), o que tornará a operadora norte-americana como a primeira cliente comprometida com a aeronave. A justificativa dada é que o A64 pode permitir a operacionalização do satélite de forma mais rápida, "adicionando mais efetividade, eficácia e flexibilidade".

O Ariane 64 tem arquitetura modular baseada em estágios que são abastecidos com módulos inferiores e superiores de propelente líquido que, por sua vez, são suplementares aos quatro motores a jato de combustível sólido. A Viasat acredita que a configuração do foguete permitirá adicionar desempenho na entrega do satélite em uma órbita de transferência geoestacionária de alta energia, onde pode começar as operações em órbita de maneira mais rápida.

Notícias relacionadas

O novo contrato com a Arianespace faz parte da estratégia da Viasat de diversificar os fornecedores e lançadores para permitir um lançamento "de uma vez só" de todos os satélites da classe ViaSat-3. A companhia espera assim uma "abordagem integrada" para o planejamento dessa etapa. As atribuições específicas das missões para cada veículo contratado serão divulgadas pela empresa futuramente.

Os satélites da constelação terão capacidade em banda Ka de "mais de 1 Tbps" cada. Apesar de afirmar que o lançamento será simultâneo, a Viasat menciona que os dois primeiros artefatos serão lançados com foco a região da Europa, Oriente Médio e África; e nas Américas. Essa cobertura inclui o Brasil, onde será complementar à capacidade contratada também em banda Ka do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações (SGDC), que já se encontra pronta para operacionalização desde a liberação do acordo com a Telebras no Tribunal de Contas da União (TCU) em maio.

O foguete Ariane 64 partirá do Centro Espacial Europeu em Kourou, na Guiana Francesa. Segundo informou a este noticiário, a Viasat diz que não haverá alteração no cronograma de lançamento com o novo acordo. A intenção inicialmente era de ter os satélites operacionais em 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.