Fabricantes superam requisitos de transferência de tecnologia exigidos pela Visiona

Os três fabricantes  que entraram na pré-seleção para fornecer o satélite para o Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicação (SGDC) superaram os requisitos mínimos de transferência de tecnologia exigidos pela Visiona. Segundo apurou este noticiário, a companhia está negociando individualmente com a Mitsubishi Electric Corporation (Melco), Space Systems/Loral, e Thales Alenia Space para que eles enviem até o final do mês uma versão final da proposta, algo conhecido pela sigla em inglês (BAFO) – best and final offer. A Visiona deve levar mais aproximadamente 30 dias para analisar a proposta final, assim a expectativa é que o nome do vencedor seja divulgado no final de julho.

Segundo apurou este noticiário, o governo brasileiro elaborou uma lista de temas nos quais pretende ter uma indústria ativa na área espacial. A partir dessa lista, a Visiona elaborou os requisitos mínimos que foram superados pelos três fornecedores previamente escolhidos. Importante notar que a até mesmo a americana/canadense Space Systems/Loral, que está sujeita ao International Traffic in Arms Regulations (ITAR) (legislação norte-americana que restringe a utilização de tecnologia americana por outros países) superou o mínino exigido pelo Brasil.

A Visiona é uma joint-venture da Telebras (49%) com a Embraer (51%) criada para ser o veículo de absorção tecnológica do primeiro satélite geoestacionário brasileiro que terá capacidade em banda X para uso militar e em banda Ka para uso da Telebrás. O orçamento da Telebrás para a aqusição do satélite é de R$ 716 milhões. O orçamento inicial previa lançamento em 2014, mas no mercado já se trabalha como fim de 2015 como data mais provável.
 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.