Anatel projeta investimentos de R$ 250 bi na próxima década

A adoção de medidas que podem aumentar a competitividade do setor de telecomunicações e a ampliação dos serviços de banda larga são capazes de promover uma entrada gigantesca de investimentos na próxima década, segundo previsões da Anatel. O superintendente de serviços privados, Jarbas Valente, anunciou nesta terça-feira, 17, que o órgão prevê a entrada de investimentos na ordem de R$ 250 bilhões ao longo dos próximos dez anos.
Para se ter uma idéia da grandeza da projeção, o setor investiu nos primeiros 10 anos da privatização R$ 180 bilhões, onde estão incluídos todos os aportes feitos na compra de concessões. O valor anunciado hoje pela Anatel é 39% maior do que o montante investido até agora e, de acordo com as tabelas da agência, as empresas deverão destinar seus recursos primordialmente nos serviços de SCM e SMP. Além do crescimento da telefonia móvel, com a expansão dos serviços de voz e de banda larga pelas operadoras, a agência aposta no crescimento da receita das TVs por assinatura e da internet em alta velocidade das fixas.
Valente admitiu que a compra da Brasil Telecom pela Oi, mesmo que indiretamente, foi levada em consideração para o cálculo da projeção de investimentos. A operação anunciada em janeiro pode custar mais de R$ 12 bilhões no total, entre a aquisição do controle da BrT, oferta pela compra de ações dos minoritários e finalização de disputas judiciais que envolvem a concessionária.

Notícias relacionadas

Crescimento dos serviços

A Anatel também divulgou estimativas de comportamento do mercado nos próximos dez anos, com projeções de crescimento dos principais serviços. A agência prevê que o número de acessos em banda larga passarão dos cerca de 18 milhões atuais para 160 milhões em 2018, com a adesão em peso da população aos serviços de banda larga móvel. Também é aguardado um crescimento no número de clientes da TV por assinatura, que devem passar de 6 milhões para 18 milhões nos próximos dez anos.
Nos acessos do SMP, a agência estima um aumento dos 130 milhões atuais para cerca de 275 milhões de celulares em funcionamento até 2018. Para o STFC, a projeção é de crescimento do número de acessos de 40 milhões para aproximadamente 55 milhões, também em dez anos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.