CVM isenta Oi da maioria dos questionamentos da Amec

A Associação de Investidores no Mercado de Capitais (Amec) divulgou nesta quarta-feira, 16, resposta recebida da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) em relação a questões levantadas por conta do processo de reestruturação da Oi. A Amec apontava para a existência de um eventual repasse da dívida dos controladores aos minoritários; compensação à Portugal Telecom (PT); "proteções extraordinárias" aos administradores; distribuição de dividendos "mesmo com a visível deterioração operacional da Oi"; direito de recesso; e divulgações de informações no âmbito da operação.

O Colegiado da CVM afastou a hipótese do repasse da dívida e argumentou que "não existem elementos suficientes" para afirmar que há compensação à PT. A Comissão também disse que "não é possível afirmar que a diluição econômica (seja) injustificada". Já em relação à política de reposição de perdas dos executivos, as investigações seguem em curso, mas a entidade ressaltou que a política não pode ser aplicada "nos casos em que o dirigente não atue no interesse da empresa", mas também não entra no mérito de quem faz tal julgamento.

Da mesma forma, a CVM declarou não ter identificado elementos que indicassem infração no caso da política de pagamento de dividendos, considerada pela Amec como "inexplicável" em uma "companhia altamente alavancada como a Oi" – ou seja, que ela utilizasse esses recursos para distribuir dividendos em vez amortizar a dívida. A entidade voltou a afirmar que, inexistindo violação, não entra "no mérito de uma decisão estratégica".

No caso do direito de recesso, o Colegiado considerou que "se aplicavam conceitos de liquidez e dispersão nas ações na data da assembleia que deliberasse sobre a incorporação, e não apenas na data do fato relevante". Já no quesito de divulgação de informações, a CVM determinou mudança na linguagem da documentação, mas sem qualquer punição. Mas a Comissão ressalta "que a operação de reestruturação em tela ainda encontra-se em curso e está sendo acompanhada (…) bem como que ainda estão sendo investigados diversos aspectos relativos à regularidade da operação", voltando a mencionar a análise a respeito do suposto descumprimento dos deveres fiduciários dos administradores na política de reposição de perdas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.