Oi teve geração de caixa negativa em junho

Foto: Bruno do Amaral

Em meio ao turbilhão que tem sido a semana desde a publicação do aumento do prejuízo e queda nas receitas no balanço financeiro do segundo trimestre, a Oi divulgou na noite da quinta-feira, 15, na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), demonstrativo das empresas em recuperação judicial referente ao mês de junho. Como se trata do último mês do trimestre em questão (e do semestre), os resultados não diferem do que já foi apresentado pela companhia: queda nas receitas e, especialmente, geração negativa de caixa.

Com fluxo de saída maior do que a entrada, a geração de caixa operacional líquida foi negativa em R$ 177 milhões em junho. Apesar do resultado, houve um saldo menos negativo do que a registrada em maio (R$ 417 milhões). Em resposta, a administração da Oi informou que o resultado está "em linha com o fluxo previsto no Plano de Recuperação Judicial". 

No total, o saldo final do caixa financeiro foi de R$ 4,145 bilhões, uma redução de R$ 161 milhões, ou 3,7% abaixo do que o mês anterior. A Oi alega que, conforme previsto nas diretrizes do Plano da RJ, oscilações são esperadas ao longo do ano. 

A companhia obteve recebimentos de R$ 2,110 bilhões, uma redução de R$ 705 milhões (25%). Houve diminuição no segmento de clientes (R$ 164 milhões, total de R$ 1,496 bilhão) e de serviços de uso de rede (queda de R$ 247 milhões, total de R$ 5 milhões). A administração da Oi afirma ter sofrido impacto com o número menor de dias úteis (20 em junho, contra 22 em maio), e que o uso de rede é passível a oscilações. 

No mês, a companhia reduziu os pagamentos em R$ 817 milhões, totalizando R$ 1,743 bilhão. Grande parte do recuo veio do segmento de fornecedores de materiais/serviços, que observou queda de R$ 793 milhões, total de R$ 1,112 bilhão. A empresa diz ser reflexo do recuo de pagamento "intercompany" de interconexão; de comissão para a Paggo Lojas (subsidiária da Oi) por vendas; e de menor saída de caixa com serviços de uso de rede. 

Os investimentos, por outro lado, atingiram patamar de R$ 544 milhões, uma redução de 19% em relação ao mês anterior. A companhia diz que está dentro do plano estratégico – vale lembrar que o resultado trimestral mostrou aumento de mais de 50% no Capex. O recuo em junho foi devido a redução de investimentos relacionados à Telemar (R$ 73 mi, total de R$ 206 milhões); da Oi Móvei (R$ 10 milhões, total de R$ 284 milhões); e da Oi S.A. (R$ 45 milhões, total de R$ 54 milhões).

Trimestre

Considerando o segundo trimestre, o caixa contábil das recuperandas teve queda de R$ 1,874 bilhão (31%) no comparativo com o trimestre imediatamente anterior, totalizando R$ 4,149 bilhões. Esse resultado foi devido à queda de R$ 2,067 bilhões de ativo circulante, explicada por pagamentos efetuados no período do Fistel, Ônus de Concessão, do PPR 2018 (Programa de Participação de Resultados referentes às metas do ano passado e aprovado no acordo coletivo 2018/2019) e da elevação de investimentos, com foco na fibra e na ampliação da rede móvel.

O escrito?rio de Advocacia Arnoldo Wald, o administrador jurídico, afirma que, como fruto da fiscalização, venceram em junho apenas obrigações com prazo de vencimento atrelado ao trânsito em julgado dos autos de origem. A AJ continua a organizar e atender os credores da RJ. Somente no último mês, o escritório apresentou 382 manifestações nos incidentes não inseridos nas mediações atualmente em curso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.