Primeiro semestre consolida avanço do 3G no País

Com a divulgação dos números da base da telefonia móvel no Brasil em junho feita pela Anatel, é possível fazer um raio-X do mercado  nesta primeira metade de 2013. O que fica evidente é que, enquanto o LTE engatinha, a tecnologia 3G avança a todo vapor. Os acessos na rede WCDMA não apenas compensaram as perdas no 2G, mas também mostraram que há novas conexões feitas diretamente com a terceira geração.

Durante a primeira metade do ano, o mercado brasileiro consolidou a tendência de migração de tecnologias, tendo sido abastecido com 17,693 milhões de novas conexões 3G em handsets, enquanto registrou perda de 15,113 milhões de acessos 2G. Isso significa que pelo menos 2,580 milhões de ativações nesse período foram feitas diretamente em WCDMA.

Quem ficou com o melhor saldo na relação entre tecnologias foi a TIM: 1,811 milhão de linhas 3G. A Claro também ganhou mais linhas 3G do que perdeu 2G (807,2 mil de saldo), seguida pela Oi, que ficou com 452,8 mil novos acessos 3G de lucro. A Vivo registrou o desempenho mais fraco entre as quatro maiores operadoras: saldo negativo de 654,9 mil acessos. 

No geral, a telefonia móvel cresceu 1,5%, totalizando 3,933 milhões novos acessos no período. Mais uma vez, a TIM foi a que mais cresceu, sendo responsável por quase a metade (46,3%) das adições, ou 1,819 milhão de linhas, um aumento de 2,58% na própria base. A Claro teve desempenho quase tão bom, chegando a 1,234 milhão de conexões novas (crescimento de 1,89%). A Oi garantiu 470,8 mil novos acessos nos seis meses, enquanto a Vivo, novamente, teve o menor avanço entre as quatro grandes: apenas 62,3 mil linhas novas no período. Confira tabela abaixo:

 

Adições líquidas – Consolidado Jan-Jun de 2013

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.