Senador pede desculpas a Emília Ribeiro

Após um acalorado discurso colocando em dúvida a capacidade da assessora técnica da Presidência do Senado Emília Ribeiro para ocupar vaga no Conselho Diretor da Anatel, o senador Papaléo Paes (PSDB/AP) voltou atrás nas críticas. Nessa terça-feira, 16, o senador voltou à tribuna do Senado para pedir desculpas à futura conselheira, dizendo ter cometido uma injustiça ao duvidar das qualidades técnicas da assessora.
"Quero aqui, publicamente, pedir desculpas pela injustiça que cometi contra essa técnica. Quero pedir desculpas a ela e aos amigos dessa senhora, que é uma pessoa realmente competente", afirmou o senador. Em seu discurso, Paes discorre sobre o currículo da indicada: "Conheci essa senhora, que tem três ou quatro formações técnicas de nível de terceiro grau, tem mestrado, tem doutorado".
No entanto, de acordo com o currículo de Emília Ribeiro, disponível no site da Anatel, a candidata à vaga do Conselho Diretor possui dois cursos superiores, um em Administração de Empresas pela Associação de Ensino Unificado do Distrito Federal (AEUDF) e outro em Direito pelo Centro Universitário de Brasília (Ceub). Não há menção a nenhum título de mestrado ou doutorado no texto.

Notícias relacionadas
Paes também ressalta que Emília tem intimidade com o setor, citando que ela é vice-presidente do Conselho Consultivo da Anatel. De fato, a assessora ocupou esta vaga no conselho, mas hoje o assento é do consultor jurídico do Ministério das Comunicações, Marcelo Bechara, indicado pelo Poder Executivo.

Incertezas

Mesmo com o pedido de desculpas, as relações entre a futura conselheira e o PSDB aparentam ainda não ser totalmente confortáveis. Escolhido como relator da mensagem indicando Emília para a Anatel, o presidente do partido, senador Sérgio Guerra (PSDB/PE), não tem demonstrado pressa em apresentar seu relatório sobre a questão. A postura de Guerra está retratada, inclusive, no site oficial do PSDB, que divulgou que o senador não pretende estipular uma data para a apresentação de seu parecer.
Com o início do recesso parlamentar, que começa amanhã, torna-se ainda mais incerto quando a Comissão de Infra-Estrutura do Senado avaliará a indicação de Emília para a agência reguladora. O recesso termina oficialmente no dia 31 de julho, mas dentro do Congresso Nacional a informação é que os trabalhos só devem ser retomados em 5 de agosto, em um eventual "esforço concentrado" para a votação de matérias onde há consenso. Na Comissão de Infra-Estrutura, não há data definida para a análise da indicação. Assim, é possível que, por mais um mês, o Conselho Diretor da Anatel continue incompleto.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.