Novo serviço de vídeo da TIM mostra novas estratégias e impasses do mercado

(ATUALIZADA ÀS 22:15) A caixa da TIM para serviços de TV lançada nesta terça, 16, traz algumas novidades importantes para o mercado de TV por assinatura. A principal é a inclusão, no modelo over-the-top, de uma operação tradicional de TV paga, a Self TV,  da TV Alphaville. Trata-se de uma das mais antigas operadoras de TV a cabo brasileiras e que, na prática, se torna a primeira operadora virtual de TV por assinatura, já que seus pacotes passam a estar disponíveis, pela banda larga, fora de sua área de atuação com redes tradicionais. Esse modelo de operadoras virtuais (que têm os mesmos pacotes tradicionais, mas são distribuídas pela banda larga) começa a surgir nos EUA, com a Echostar, por exemplo, que vende pacotes que podem ser assistidos por qualquer pessoa que tenha banda larga.

Notícias relacionadas
Outra novidade importante é o primeiro impasse envolvendo uma programadora tradicional de TV paga, a Globosat, e a Netflix, provedora de vídeo sob demanda por assinatura. A Globosat não deixou seus canais disponíveis para a Self TV distribuir no modelo OTT, via caixa da TIM, como outras programadoras. Segundo fontes ouvidas por este noticiário, a razão para isso seria a Netflix, que está embarcada na caixa, mas a Globosat nega. Segundo fontes da programadora, a razão é a falta de clareza sobre o modelo.

Algumas operadoras de TV por assinatura tradicionais  como a Cablevision nos EUA, ou a Virgin, no Reino Unido, estão colocando o aplicativo da Netflix em seus set-tops, para o cliente usar se quiser. Isso tem gerado protesto de algumas programadoras e operadores concorrentes. O que se vê no Brasil poderia ser um conflito semelhante.

No caso da TV por assinatura especificamente, a oferta da TIM se dará através de três pacotes do novo produto da TV Alphaville, que custam entre R$ 29,90 e R$ 89,90. Segundo Cristina Budeu, CEO da TV Alphaville, o produto é sem fidelidade. “Pode trocar o pacote mês a mês. Tenho certeza que o nosso pacote de entrada é o de menor preço do mercado”, disse.

A assinatura e toda a sua gestão por parte do assinante se dará online e a cobrança, feita pela prestadora do serviço de vídeo, e não pela TIM, será por cartão de crédito. A Self TV oferece um mês de degustação.

Os pacotes são enxutos, não contando com canais da Globosat e HBO. O serviço oferece, no entanto, já no pacote médio, os canais Esporte Interativo, contando, portanto, com o conteúdo da Champions League. Além disso, traz os canais infantis no pacote de entrada.

Cristina não comenta o impasse com a Globosat nem as razões. Diz apenas que continua negociando com a G2C pelos canais Globosat. “A questão tecnológica está superada, mas eles são mais cautelosos ao entrar em novas plataformas e serviços”, disse. Com a HBO, no entanto, a dificuldade na negociação é na homologação técnica, que ainda deve levar algum tempo.

Segundo a executiva da Self TV, a rede da TIM é a primeira homologada pela operadora para a oferta do serviço de TV. “Vamos estudar novas redes. Em alguns anos estaremos junto das grandes do Brasil. Seremos a quinta empresa de TV por assinatura em pouco tempo”, disse.

Já existem outras empresas que pensam em seguir o mesmo modelo da TIM. A Sercomtel, por exemplo, tem planos de fazer o mesmo no Paraná pelas redes de banda larga da Copel.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.