Vivo demonstra soluções em 450 MHz para IoT

A parceria entre Vivo, Ericsson, Raízen e EsalqTec para Internet das Coisas na faixa de 450 MHz apresentou o andamento do desenvolvimento do ecossistema para a conectividade no campo. As empresas realizaram demonstrações na semana passada, em Piracicaba (SP), das primeiras soluções focadas em telemetria de maquinário, pecuária e previsões climáticas. O objetivo é facilitar o trabalho do agricultor com gestão do campo mais eficiente, rápida e automatizada.

Segundo informou a operadora nesta terça-feira, 16, o os projetos foram desenvolvidos por startups do programa Agro IoT Lab, iniciado em janeiro deste ano e com seis iniciativas em IoT para o agronegócio utilizando o espectro de 450 MHz e direcionadas a NB-IoT e LTE-M. A Vivo afirma que a demonstração dessas plataformas permitiu a criação de um ecossistema de inovação aberta para a melhoria da produtividade com menor custo operacional e otimização de recursos.

Ainda de acordo com a operadora, o projeto em IoT reforça o "compromisso em oferecer a melhor utilização da frequência de 450 MHz". Por sua vez, no mesmo comunicado, a Ericsson ressaltou que a aplicação da faixa permite uma cobertura 2,5 vezes maior do que a possível com a frequência de 700 MHz. Vale lembrar que há o risco de a Anatel retomar a faixa das mãos das operadoras se entender que o espectro está sendo subutilizado. A Vivo diz que as demonstrações das novas aplicações foram acompanhadas pelo presidente da agência, Leonardo Euler, e do conselheiro Aníbal Diniz. 

Projetos

A empresa de telemetria de maquinário e manutenção preditiva IoTag apresentou na ocasião projeto de trator conectado com foco na redução do consumo de combustível. Já a companhia de soluções M2M para telemetria e gerenciamento remoto Ativa Soluções apresentou estação metereológica conectada, dando acesso a informações em tempo real. Por sua vez, a empresa de soluções tecnológicas para agropecuária de precisão @Tech mostrou uma plataforma para a tomada de decisão indicando "ponto ótimo de negociação" com base na coleta de dados e inteligência artificial. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.