Investimento global em telecom cresce 10% em 2021, aponta consultoria

Foto: Pixabay

Em 2021, dados compilados pela consultoria MTN Consulting apontaram um crescimento de 10,1% no investimento global das operadoras de telecom – além do maior salto em uma década nas receitas do setor (+5,5%).

As cifras consideram dezenas de companhias do segmento com capital aberto. Segundo o levantamento, US$ 1,891 trilhão em faturamento foi registrado pelas teles no ano passado em todo o mundo, com investimento ficando em US$ 325 bilhões. Assim, a relação entre capex e receitas atingiu 17,2%, no maior patamar medido pela consultoria desde 2015.

O aumento nos gastos de rede é associado a alguns fatores, começando pela retomada de projetos paralisados em 2020 por conta da pandemia de covid-19. Em paralelo, investimentos para a chegada do 5G em diversos países e em soluções de core (núcleo) como preparação para a nova geração de redes também se destacaram.

Notícias relacionadas

Um terceiro elemento para o crescimento foi o investimento massivo em fibra óptica, sobretudo em áreas rurais e para suporte à infraestrutura móvel. Em alguns casos, notou a MTN Consulting, a implementação de fibra foi apoiada por subsídios governamentais.

Restrições

As restrições a fornecedores chineses impostas pelos Estados Unidos também tiveram impacto no salto dos aportes. Além de pequeno efeito causado pela remoção e substituição de vendors, a MTN Consulting visualizou menos concorrência durante processos de RFP (request for proposal) realizadas pelas teles para aquisições.

Empresas

Excluindo as operadoras chinesas e de Hong Kong, que ainda não terminaram de reportar seus dados de 2021, os dez maiores investimentos do ano passado vieram de AT&T, DT, Verizon, NTT, Comcast, Vodafone, Orange, Charter, América Móvil (dona da Claro) e Telefónica (controladora da Vivo). América Móvil e Telecom Italia (dona da TIM) também estão entre as empresas que deram maior salto de aportes ante 2020.

No Brasil, números já reportados pelas principais operadoras apontaram uma alta de 11,5% no investimento anual da Vivo. Já na TIM, o salto foi de 12,6% – nos dois casos, excetuando a compra de espectro.

Deixe seu comentário