Telefónica e Internexa estabelecem acordo para uso de cabos submarinos

A Telefónica anunciou nesta quarta, 16, parceria com a provedora de infraestrutura Internexa para oferecer serviços de conectividade, acesso à Internet e soluções de TIC nas Américas. O acordo de 20 anos inclui o direito de uso de "frações de pares de fibra ótica apagada" no cabo submarino recém-anunciado pelo grupo espanhol, controlador da Vivo no Brasil, e que liga Fortaleza a San Juan (Porto Rico) e Virginia Beach (Estados Unidos), o BRUSA, que deverá entrar em operação no começo de 2018.

Na verdade, a parceria entre as duas empresas foi iniciada no final do passado e, por conta disso, a Internexa já começou a utilizar o sistema SAM-1, que interliga Estados Unidos, Porto Rico, Colômbia, Brasil (Fortaleza, Salvador, Rio de Janeiro e São Paulo), Argentina, Chile, Peru, Equador e Guatemala. Além disso, a empresa poderá utilizar também a rota do Pacific Caribbean Cable System (PCCS), consórcio de cabo anunciado no ano passado. As novas infraestruturas permitirão à provedora conectar o Brasil e a Colômbia aos Estados Unidos, dobrando sua cobertura de fibra de 30 mil km para 60 mil km.

De acordo com o diretor presidente da Internexa no Brasil, Paulo Rodolfo Mello, o investimento total da empresa é de US$ 120 milhões no País, e o intuito é levar a empresa a ser uma "Tier 1" no setor de infraestrutura na América Latina. A companhia conta com rede terrestre em toda a região, passando por Colômbia, Chile e Brasil (até o Rio de Janeiro). "O acordo é para a fibra escura porque, de acordo com o equipamento que coloco (nas pontas), tenho capacidade grande, fico praticamente ilimitado", disse ele a este noticiário. A ideia é fornecer uma rota direta internacional que ligará o tráfego ao hub de Miami, um dos maiores do mundo. "Isso dá conectividade global e proximidade para todos os clientes, vamos melhorar muito a performance e (a entrega de) conteúdo."

Mello explica que o retorno desse investimento é "de médio a longo prazo", uma vez que o contrato tem extensão de 20 anos, mas que já começa a sentir resultados com o aumento de negócios com as empresas para quem aluga a infraestrutura e capacidade. "Percebemos alavancagem muito rápida de negócios com nossos clientes, fizemos investimento importante também para espaço de co-location para o mercado de pequenos provedores de conexão, e para eles já houve percepção de melhora de serviço e aumento do consumo (de dados)", declara. Esse espaço é um novo Data Center e centro de controle de rede regional da empresa no Rio de Janeiro, inaugurado no começo do mês. A estrutura de 820 m² fica na sede da empresa no prédio Teleporto, onde conta também com entrada exclusiva de energia elétrica para garantir maior confiabilidade na operação.

De acordo com o executivo, a Telefônica e a Internexa já contam com outras parcerias: a operadora utiliza a rede da provedora no RJ. Além disso, para demais clientes, a companhia conta com "grandes investimentos" para ampliar a infraestrutura no País, sobretudo em cabos DWDM para aumentar a disponibilidade de fibras passando em torres de alta tensão no Estado de São Paulo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.