Publicidade
Início Newsletter Google e NEC se juntam por cabos submarinos com fibra multi-core

Google e NEC se juntam por cabos submarinos com fibra multi-core

Créditos: Afa Shutterstock

O Google e a NEC firmaram acordo para a adoção da tecnologia de fibra multi-core (MCF) para cabos submarinos. O projeto das companhias fará a ligação entre Taiwan, Filipinas e Estados Unidos. O sistema tem a colaboração de teles regionais estratégicas, como Chunghwa Telecom, Innove (subsidiária da integradora Globe Group) e AT&T. A expectativa é de que a rede esteja pronta em 2025.

De acordo com o Google, a escolha pela adoção da tecnologia MCF tem o objetivo de atender a crescente demanda por largura de banda, que cresce exponencialmente. Ainda de acordo com a empresa, os cabos submarinos que transportam dados entre continentes devem ser dimensionados para as novas necessidades de uso dos fornecedores de nuvem e operadores de rede que prestam serviços para o consumidor final.

“Essa primeira implementação de MCF em redes submarinas representa um marco fundamental rumo a sistemas de próxima geração com maior capacidade, conectividade mais eficiência e menor custo por bit”, disse Eduardo Mateo, diretor de estratégia tecnológica da NEC.

Notícias relacionadas

Fibra multi-core

Uma das soluções desenvolvidas nos últimos anos para oferecer maior capacidade total a uma taxa por bit mais econômica foi a SDM – tecnologia de multiplexação de espaço. Ela permitiu essa maior performance já que possibilita maior número de fibras no cabo.

Mas, de acordo com o Google, essa tecnologia começou a apresentar desafios de escalabilidade. Isso porque aumentar o número de fibras em cada cabo é difícil sem aumentar o diâmetro externo do cabo. Essa característica exige mais material e peso – o que sobrecarrega as operações marítimas e manutenção. “Além do mais, adicionar fibras significa prazos significativamente mais longos para fabricação, testes e reparos”, explicou o Google.

Já a fibra multi-core (MCF) baseia-se na geração atual de fibras ópticas de núcleo único. “Com o MCF, dobramos o número de núcleos no revestimento, o que significa que ele pode transportar mais luz e informações a um custo reduzido por bit. Tudo no mesmo fio de fibra”, informou o Google em nota.

Além disso, a tecnologia MCF promete reduzir o tempo das operações de fabricação, testes e até manutenções. A razão para isso é a quantidade inferior de fibras  em comparação com um número equivalente de núcleos implementados por meio de fibras tradicionais de núcleo único. 

“Esperamos que a fibra multi-core seja uma parte importante da infraestrutura global de telecomunicações. Esta é uma nova e animadora direção para o escalonamento da capacidade de cabos, abrindo caminho para novos aumentos no número de núcleos por fibra ao longo do tempo e assim satisfazer as necessidades por largura de banda da indústria”, comentou o Google.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Sair da versão mobile