Celg economiza mais de R$ 2 milhões por ano com rede própria de telecom

Uma economia anual superior a R$ 2 milhões: esse é o resultado imediato do investimento da Celg, companhia de energia do estado de Goiás, em uma rede própria de telecomunicações. Nos últimos dois anos, a empresa investiu R$ 18 milhões em infraestrutura de telecomunicações, construindo redes WDM, NG-SDH e Ethernet, além de um backbone de fibra óptica com 614 km de extensão, que passa por 17 municípios e deve ser estendido para o restante do Estado no futuro. Só a economia no aluguel de links de rádio alcança R$ 1 milhão ao ano. Com a adoção de VoIP, calcula-se que a empresa está gastando R$ 1 milhão a menos com voz anualmente. As informações foram apresentadas durante o 10º Seminário Nacional de Telecomunicações da Aptel, no Rio de Janeiro, nesta terça-feira, 15.
Carrier de carrier
Para gerenciar essa nova rede de telecomunicações, foi fundada ano passado a Celg Telecom, uma subsidiária da holding CelgPar. Suas clientes hoje são as outras empresas do grupo: a Celg D, que cuida de distribuição, e a Celg G&T, responsável por geração e transmissão de energia. Segundo Luis Claudio Sampaio, executivo da Celg Telecom, é estudada a possibilidade de transformar a companhia em uma "carrier de carrier". "Existe deficiência de backbone de telecom em algumas regiões de Goiás. Sabemos do interesse de algumas operadoras, como a GVT, de alugar capacidade na nossa rede", disse Sampaio.
PLC
A Celg já fez inúmeros testes com powerline communications (PLC) e utiliza a tecnologia para tráfego de dados interno. A empresa estuda a possibilidade de fazer uma licitação para a oferta comercial do serviço, seguindo os moldes da regulamentação recém publicada por Aneel e Anatel.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.