Projeto no Senado propõe isenção do Fistel, Condecine e CFRP para IoT

Foto: jeferrb / Pixabay.com

Tramita na Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado o Projeto de Lei (PLS 349/2018), do senador Garibaldi Alves (MDB/RN), que altera as regras  da Taxa de Fiscalização do Fundo de Fiscalização das Telecomunicações (Fistel), da Contribuição para o Desenvolvimento da Indústria Cinematográfica Nacional (Condecine) e da Contribuição para o Fomento da Radiodifusão Pública (CFRP).  Entre outras determinações, o projeto sugere a isenção das taxas para as estações terminais de telecomunicações utilizadas exclusivamente em sistemas de comunicação máquina a máquina (M2M). Outra mudança importante é a redução das taxas de Fistel para instalação de terminais de satélite (VSAT) cujos valores se equiparariam ao Fistel de celulares (R$ 26,83, contra mais de R$ 200 hoje), o que consequentemente leva também a uma redução proporcional sobre a CFRP e Condecine.

Em sua justificativa, o autor destaca que  "o estudo Internet das Coisas: um plano de ação para o Brasil, liderado pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), destaca projeções que estimativa  de impacto anual de 50 a 200 bilhões de dólares para a economia brasileira até 2025".

Alves também destaca que o estudo foi produzido para fornecer subsídios para a elaboração do Plano Nacional de Internet das coisas (IoT)." O Plano tem por objetivo acelerar a implantação da Internet das coisas como instrumento de desenvolvimento sustentável, de modo a fomentar a competitividade da economia brasileira, fortalecer as cadeias produtivas nacionais e promover a melhoria da qualidade de vida da população."

O autor também reforça que cabe ao Congresso Nacional eliminar as barreiras de natureza legal para a execução deste planejamento. Por isso, reforça que  "no esforço de facilitar a assimilação da nova tecnologia no contexto nacional, as cargas tributária e regulatória incidentes sobre os dispositivos de comunicação máquina precisam ser endereçadas. Caso contrário, o mundo da Internet das coisas e suas externalidades positivas para o desenvolvimento econômico não se materializarão."

Projeto semelhante, com isenção das mesmas taxas para o mesmo objetivo já tramita na Câmara dos Deputados.

Tramitação

O projeto aguarda emendas até esta quarta-feira (15). Vencido o prazo, o relator na comissão será indicado. Após analisado na CCT, o projeto  para a Comissão de Assuntos Econômicos da Casa. Uma vez aprovado, seguirá para análise da Câmara dos Deputados, uma vez que tramita em caráter terminativo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.