Sky Online é lançado inicialmente apenas para seus assinantes

Conforme anunciou este noticiário no final do ano passado (leia aqui), a Sky anunciou hoje oficialmente seu serviços de "locadora virtual", o Sky Online (www.skyonline.com.br).

Aberto inicialmente apenas aos assinantes do serviço de TV, mas com planos de se tornar um serviço para o público em geral no futuro, o Sky Online oferece as modalidades de compra, aluguel ou assinatura de filmes e séries por meio de banda larga.

O serviço é gerenciado pela plataforma de distribuição da Truetech, mas a negociação de licenciamento dos títulos é feita pela própria operadora, que mantém um relacionamento histórico com os distribuidores. Inicialmente os vídeos poderão ser vistos apenas em computadores, com a tecnologia Silverlight, da Microsoft. No roadmap da Sky estão as versões para ipad, smartphones, consoles de games e TVs conectadas, contou o presidente da empresa, Luiz Eduardo Baptista (Bap) em evento para a imprensa nesta quarta, 15. Este noticiário apurou que a operadora também pretende, provavelmente este ano ainda, oferecer o serviço diretamente nos seus set-top boxes com conexão à Internet.

A Sky não aposta, neste momento, em uma oferta long tail. Segundo Bap, a operadora tem acesso aos hábitos de uso do assinante, através do sistema chamado VDC (View Data Collection), e sabe quais os títulos que mais interessam. Assim, o Sky Online começa com uma biblioteca pequena se comparada a outros serviços de VOD, cerca de mil títulos, focada principalmente em blockbusters. A janela de exibição deve ser semelhante à existente para o pay-per-view e o vídeo on-demand. Em alguns casos será até anterior a estes, conta Bap.

Os vídeos estarão disponíveis tanto para download quanto para streaming. O download, diz Bap, é necessário por conta dos acessos mais lentos de banda larga existentes no Brasil.

"Também não é uma TV everywhere da Sky", diz Bap. É um serviço complementar ao de pay TV. "O conceito está no nosso radar, mas para oferecer os conteúdos da TV no online dependemos de mudanças nos contratos atuais, que não prevêem essa modalidade", diz.

A operadora conta também com conteúdos gerados por seus parceiros de pay TV, como a ESPN, que fornecerá conteúdos de seu serviço de TV everywhere ESPN360, da Band, de quem comprou recentemente algumas séries e futuramente da HBO, com o HBO Go, do Telecine e da Globosat, com o Muu. O serviço é o primeiro do gênero oferecido por uma operadora do grupo DirecTV no mundo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.