Vilela descarta votação do PLC 79 ainda em 2018

Autor do PLC 79, o deputado federal Daniel Vilela (MDB-Go) já não tem mais esperança em uma votação no Senado ainda este ano, mesmo que o calendário conte com mais uma semana. Acredita, contudo, que a equipe do futuro presidente, Jair Bolsonaro, estará alinhada com a necessidade de aprovação do projeto. "O [futuro] ministro Paulo Guedes escolheu como secretário executivo da Fazenda Marcelo Guaranys, que cuidava do PLC na Câmara e conhece profundamente o setor e o projeto", disse ele durante participação no F4 Summit, nesta sexta, 14.

Vilela contou que conversou com o deputado Eduardo Bolsonaro a respeito do PLC para apresentar a necessidade de aprovação e potencial para atrair investimentos. Segundo o parlamentar, o filho do presidente foi cobrado da aprovação do projeto em recente visita a Washington, e se comprometeu a falar com Marcelo Guaranys sobre o assunto.

O deputado criticou, contudo, o posicionamento de Bolsonaro sobre as relações comerciais com a China, alertando para consequências para o Brasil de uma "decisão ideológica seguindo os Estados Unidos" e que poderiam causar impacto grande no setor de telecomunicações. "A equipe econômica pode ser um freio para os arroubos que o presidente pode ter", declarou. "Bolsonaro pode ser de tudo um pouco, mas bobo não é. Presidente no Brasil só é popular de acordo com a economia."

Apesar de descartar um desengavetamento este ano, Vilela se mostrou otimista com a tramitação do PLC no início de 2019. Ele citou "razões desconhecidas" para que o presidente do Senado, Eunício Olviera, não tenha colocado o texto em votação ainda, mas entende que se o próximo presidente eleito em fevereiro for Renan Calheiros, há mais chances. "Ele é defensor do projeto", alega.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.