Folha informa, ninguém confirma e ações da TIM disparam

As ações ordinárias da TIM (TCSL3) fecharam em alta de 6,43% nesta quinta-feira, 14, chegando a subir quase 10% durante o pregão, em razão de notícia publicada na Folha de S. Paulo informando que o milionário Carlos Slim teria elevado de US$ 8 para US$ 10 bilhões a proposta de compra da operadora italiana. Por lei, as ações ordinárias têm direito a tag along de 80% do valor pago pelas ações de controle.
Analistas ouvidos por TELETIME News consideram a suposta nova proposta alta e pouco condizente com histórico de Slim de pagar o mínimo possível pelos ativos que compra. Entretanto, embora não haja nada confirmado oficialmente por fontes da Telecom Italia, alguns especialistas acreditam que deve haver, sim, algum fundo de verdade na notícia. Outros já começaram a manifestar ceticismo e desconfiança com a seqüência de informações não confirmadas pelos fatos. Vale lembrar que há três semanas foi publicada no jornal ?O Globo? a notícia, até agora não confirmada, de que a venda para a América Móvil já estaria concluída. Só faltava anunciar. A Folha, por sua vez, já anunciara dias atrás até a desativação do escritório da Telecom Italia no Brasil.
Procurada por este noticiário, a Telecom Italia informou que sua posição continua a mesma divulgada no início de novembro: a empresa recebeu uma proposta não solicitada para venda da TIM e a está analisando.

Notícias relacionadas
Pela suposta nova proposta de Slim, a TIM estaria avaliada em R$ 30,65 bilhões, levando em conta 100% do seu capital, calcula o Banco Brascan, em análise divulgada nesta quinta-feira, 14. Isso daria um preço médio de R$ 13,2 por ação. O preço médio para o tag along seria de R$ 10,6 ? abaixo, portanto, da cotação de R$ 11,5 da TCSL3 no fechamento da última quarta-feira, 13.
O problema é que a falta de detalhes da proposta dificulta a precificação das ações. Não se sabe, por exemplo, que estratégia a América Móvil usaria na premiação de ordinárias e preferenciais. É preciso levar em conta que a Telecom Italia detém 81% das ordinárias da TIM Brasil e 64% das preferenciais. Na opinião de analistas, o grupo italiano vai incluir no pacote de venda as preferenciais. ?Será que a América Móvil vai botar mais prêmio na ON, apesar do tag along, e comprar a PN pelo preço de mercado? Ou dará um prêmio menor na ON e incluiria algum prêmio na PN??, pergunta Eduardo Roche, analista do Modal. As PNs (TCSL4) subiram 3,6% nesta quinta-feira.

São Paulo e Nordeste

Outra dúvida levantada diz respeito à operação em São Paulo. O analista Alexandre Constantini, do Bear Stearns, se pergunta se a Anatel permitiria que a Claro fique com a operação da TIM em São Paulo. Afinal de contas, isso reduziria para apenas dois o número de operadoras no Estado. O problema apontado não seria só no Estado de São Paulo. Em vários Estados do Nordeste, onde a Vivo não atua, ficariam também só duas operações.

CVM

Perguntada se iria solicitar esclarecimentos à Telecom Italia, em razão da matéria publicada na Folha e da conseqüente forte alta das ações da empresa, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) respondeu o seguinte: ?A CVM solicita esclarecimentos sempre quando de movimentação atípica no mercado detectada em seu sistema de monitoramento, dados parâmetros estabelecidos. Sendo o caso, é seguido o procedimento padrão de solicitação de esclarecimentos, configurando trâmite administrativo interno?.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.