Provedor regional Mundo Voa quer crescer com modelo de rede neutra da V.tal

CEO da provedora regional Mundo Voa, Márcio Alves

Baseada no Rio Grande do Sul, o provedor regional Mundo Voa tem um plano de expansão de crescer pelo menos quatro vezes nos próximos anos. O CEO da empresa, Márcio Alves, destacou que isso será possível por uma mudança na estratégia para a qual a companhia vem se preparando há algum tempo: parceria com uma operadora de rede neutra. 

Durante a última sessão do primeiro dia do Painel Telebrasil 2021 nesta terça-feira, 14, não foi explicitado quem seria esse parceiro. Mas a V.tal (antiga InfraCo, da Oi) foi a empresa que promoveu o debate, e indicou diversas vezes que ela poderia oferecer a infraestrutura necessária. O executivo diz que optou fornecer a última milha, e que os recursos para essa estratégia já tem um parceiro de financiamento, inclusive com oferta pública de ações.

"Dentro do plano de negócios da Voa para os próximos cinco anos está acelerar em 300% nosso crescimento", declara Alves. O entendimento do executivo é que a cultura do compartilhamento de infraestrutura deveria ser seguido no interior do País. "É a primeira vez que uma operadora dessa magnitude como a V.tal abre oportunidade para um pequeno como a gente", destaca.  

Notícias relacionadas

Alves diz que o plano de negócios do provedor, em geral, prevê um volume muito alto destinado ao Capex por conta da infraestrutura. Com a parceria, ele espera diminuir significativamente o investimento para poder focar no atendimento ao cliente. A Mundo Voa espera crescer para pelo menos mais três estados sem a rede própria (que por sua vez ficará limitada ao Rio Grande do Sul).

Diretor de vendas da V.tal, André Telles afirma que a companhia hoje tem 13 contratos de rede neutra (três a mais do que há cerca de um mês), mas que não pode divulgar os nomes. "O que é conhecido e público é que a gente vem 'performando' (sic) bem com a Vero. Isso está indo muito bem e só nos dá clareza de que estamos no caminho certo para que possamos suportar outros, como a Mundo Voa", declarou ele no painel. Há ainda o contrato com o cliente âncora, a Oi.

Telles lembra que mesmo antes da separação industrial da Oi para a formação da V.tal, a companhia já atuava no atacado, fornecendo capacidade de backbone e backhaul para mais de 1,6 mil provedores regionais. 

Datora

Outra empresa que tem um planejamento claro como plataforma de serviços é a Datora. A empresa atua como como MVNO em parceria com ISPs. O CEO da empresa, Thomas Fuchs, diz que "não importa mais quem está por trás [da infraestrutura], o que importa é o serviço que se proporciona".

Fuchs diz que espera colher nos próximos anos os investimentos feitos, desde a própria MVNO até iniciativas para adicionar valor à fibra, com investimentos em Internet das Coisas em regiões remotas do País. "O IoT é 100% integrado ao meio ambiente. E smart cities só farão sentido com rede neutra", afirma. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.