Intelig ganha acesso à estação do Américas II

Outra atitude considerada anti-competitiva por Alain Riviére foi o fato de a Embratel ter dificultado o acesso da espelho à estação onde o cabo Américas II chega ao solo brasileiro. A Embratel é líder no consórcio que detém o cabo e é, também, responsável por sua manutenção. A Intelig participa do consórcio, mas com posição minoritária. "Tivemos que ir à Justiça para podermos conectar um dos nossos clientes, a Teleglobe, ao Américas II, uma vez que a Embratel não permitia nosso acesso às instalações do landing station. Só na última hora apresentaram uma proposta de R$ 30 mil mensais pelo serviço, mas já estávamos na Justiça. A Embratel recebe seus pagamentos como principal sócia e zeladora do cabo e não pode impedir outra operadora de ter acesso às instalações", afirma Riviére. Na semana passada, a Justiça carioca deu ganho de causa à Intelig nesta ação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

I accept the Privacy Policy

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.